domingo, 31 de outubro de 2010

Pronunciamento da presidente eleita Dilma Rousseff

Íntegra do pronunciamento da presidente eleita Dilma

31.10.2010

Minhas amigas e meus amigos de todo o Brasil,

É imensa a minha alegria de estar aqui. Recebi hoje de milhões de brasileiras e brasileiros a missão mais importante de minha vida. Este fato, para além de minha pessoa, é uma demonstração do avanço democrático do nosso país: pela primeira vez uma mulher presidirá o Brasil. Já registro portanto aqui meu primeiro compromisso após a eleição: honrar as mulheres brasileiras, para que este fato, até hoje inédito, se transforme num evento natural. E que ele possa se repetir e se ampliar nas empresas, nas instituições civis, nas entidades representativas de toda nossa sociedade.

A igualdade de oportunidades para homens e mulheres é um principio essencial da democracia. Gostaria muito que os pais e mães de meninas olhassem hoje nos olhos delas, e lhes dissessem: SIM, a mulher pode!

Minha alegria é ainda maior pelo fato de que a presença de uma mulher na presidência da República se dá pelo caminho sagrado do voto, da decisão democrática do eleitor, do exercício mais elevado da cidadania. Por isso, registro aqui outro compromisso com meu país:

· Valorizar a democracia em toda sua dimensão, desde o direito de opinião e expressão até os direitos essenciais da alimentação, do emprego e da renda, da moradia digna e da paz social.

· Zelarei pela mais ampla e irrestrita liberdade de imprensa.

· Zelarei pela mais ampla liberdade religiosa e de culto.

· Zelarei pela observação criteriosa e permanente dos direitos humanos tão claramente consagrados em nossa constituição.

· Zelarei, enfim, pela nossa Constituição, dever maior da presidência da República.

Nesta longa jornada que me trouxe aqui pude falar e visitar todas as nossas regiões. O que mais me deu esperanças foi a capacidade imensa do nosso povo, de agarrar uma oportunidade, por mais singela que seja, e com ela construir um mundo melhor para sua família. É simplesmente incrível a capacidade de criar e empreender do nosso povo. Por isso, reforço aqui meu compromisso fundamental: a erradicação da miséria e a criação de oportunidades para todos os brasileiros e brasileiras.

Ressalto, entretanto, que esta ambiciosa meta não será realizada pela vontade do governo. Ela é um chamado à nação, aos empresários, às igrejas, às entidades civis, às universidades, à imprensa, aos governadores, aos prefeitos e a todas as pessoas de bem.

Não podemos descansar enquanto houver brasileiros com fome, enquanto houver famílias morando nas ruas, enquanto crianças pobres estiverem abandonadas à própria sorte. A erradicação da miséria nos próximos anos é, assim, uma meta que assumo, mas para a qual peço humildemente o apoio de todos que possam ajudar o país no trabalho de superar esse abismo que ainda nos separa de ser uma nação desenvolvida.

O Brasil é uma terra generosa e sempre devolverá em dobro cada semente que for plantada com mão amorosa e olhar para o futuro. Minha convicção de assumir a meta de erradicar a miséria vem, não de uma certeza teórica, mas da experiência viva do nosso governo, no qual uma imensa mobilidade social se realizou, tornando hoje possível um sonho que sempre pareceu impossível.

Reconheço que teremos um duro trabalho para qualificar o nosso desenvolvimento econômico. Essa nova era de prosperidade criada pela genialidade do presidente Lula e pela força do povo e de nossos empreendedores encontra seu momento de maior potencial numa época em que a economia das grandes nações se encontra abalada.

No curto prazo, não contaremos com a pujança das economias desenvolvidas para impulsionar nosso crescimento. Por isso, se tornam ainda mais importantes nossas próprias políticas, nosso próprio mercado, nossa própria poupança e nossas próprias decisões econômicas.

Longe de dizer, com isso, que pretendamos fechar o país ao mundo. Muito ao contrário, continuaremos propugnando pela ampla abertura das relações comerciais e pelo fim do protecionismo dos países ricos, que impede as nações pobres de realizar plenamente suas vocações.

Mas é preciso reconhecer que teremos grandes responsabilidades num mundo que enfrenta ainda os efeitos de uma crise financeira de grandes proporções e que se socorre de mecanismos nem sempre adequados, nem sempre equilibrados, para a retomada do crescimento.

É preciso, no plano multilateral, estabelecer regras mais claras e mais cuidadosas para a retomada dos mercados de financiamento, limitando a alavancagem e a especulação desmedida, que aumentam a volatilidade dos capitais e das moedas. Atuaremos firmemente nos fóruns internacionais com este objetivo.

Cuidaremos de nossa economia com toda responsabilidade. O povo brasileiro não aceita mais a inflação como solução irresponsável para eventuais desequilíbrios. O povo brasileiro não aceita que governos gastem acima do que seja sustentável.

Por isso, faremos todos os esforços pela melhoria da qualidade do gasto público, pela simplificação e atenuação da tributação e pela qualificação dos serviços públicos. Mas recusamos as visões de ajustes que recaem sobre os programas sociais, os serviços essenciais à população e os necessários investimentos.

Sim, buscaremos o desenvolvimento de longo prazo, a taxas elevadas, social e ambientalmente sustentáveis. Para isso zelaremos pela poupança pública.

Zelaremos pela meritocracia no funcionalismo e pela excelência do serviço público. Zelarei pelo aperfeiçoamento de todos os mecanismos que liberem a capacidade empreendedora de nosso empresariado e de nosso povo. Valorizarei o Micro Empreendedor Individual, para formalizar milhões de negócios individuais ou familiares, ampliarei os limites do Supersimples e construirei modernos mecanismos de aperfeiçoamento econômico, como fez nosso governo na construção civil, no setor elétrico, na lei de recuperação de empresas, entre outros.

As agências reguladoras terão todo respaldo para atuar com determinação e autonomia, voltadas para a promoção da inovação, da saudável concorrência e da efetividade dos setores regulados. Apresentaremos sempre com clareza nossos planos de ação governamental. Levaremos ao debate público as grandes questões nacionais. Trataremos sempre com transparência nossas metas, nossos resultados, nossas dificuldades.

Mas acima de tudo quero reafirmar nosso compromisso com a estabilidade da economia e das regras econômicas, dos contratos firmados e das conquistas estabelecidas.

Trataremos os recursos provenientes de nossas riquezas sempre com pensamento de longo prazo. Por isso trabalharei no Congresso pela aprovação do Fundo Social do Pré-Sal. Por meio dele queremos realizar muitos de nossos objetivos sociais.

Recusaremos o gasto efêmero que deixa para as futuras gerações apenas as dívidas e a desesperança.

O Fundo Social é mecanismo de poupança de longo prazo, para apoiar as atuais e futuras gerações. Ele é o mais importante fruto do novo modelo que propusemos para a exploração do pré-sal, que reserva à Nação e ao povo a parcela mais importante dessas riquezas.

Definitivamente, não alienaremos nossas riquezas para deixar ao povo só migalhas. Me comprometi nesta campanha com a qualificação da Educação e dos Serviços de Saúde. Me comprometi também com a melhoria da segurança pública. Com o combate às drogas que infelicitam nossas famílias.

Reafirmo aqui estes compromissos. Nomearei ministros e equipes de primeira qualidade para realizar esses objetivos. Mas acompanharei pessoalmente estas áreas capitais para o desenvolvimento de nosso povo.

A visão moderna do desenvolvimento econômico é aquela que valoriza o trabalhador e sua família, o cidadão e sua comunidade, oferecendo acesso a educação e saúde de qualidade. É aquela que convive com o meio ambiente sem agredí-lo e sem criar passivos maiores que as conquistas do próprio desenvolvimento.

Não pretendo me estender aqui, neste primeiro pronunciamento ao país, mas quero registrar que todos os compromissos que assumi, perseguirei de forma dedicada e carinhosa. Disse na campanha que os mais necessitados, as crianças, os jovens, as pessoas com deficiência, o trabalhador desempregado, o idoso teriam toda minha atenção. Reafirmo aqui este compromisso.

Fui eleita com uma coligação de dez partidos e com apoio de lideranças de vários outros partidos. Vou com eles construir um governo onde a capacidade profissional, a liderança e a disposição de servir ao país será o critério fundamental.

Vou valorizar os quadros profissionais da administração pública, independente de filiação partidária.

Dirijo-me também aos partidos de oposição e aos setores da sociedade que não estiveram conosco nesta caminhada. Estendo minha mão a eles. De minha parte não haverá discriminação, privilégios ou compadrio.

A partir de minha posse serei presidenta de todos os brasileiros e brasileiras, respeitando as diferenças de opinião, de crença e de orientação política.

Nosso país precisa ainda melhorar a conduta e a qualidade da política. Quero empenhar-me, junto com todos os partidos, numa reforma política que eleve os valores republicanos, avançando em nossa jovem democracia.

Ao mesmo tempo, afirmo com clareza que valorizarei a transparência na administração pública. Não haverá compromisso com o erro, o desvio e o malfeito. Serei rígida na defesa do interesse público em todos os níveis de meu governo. Os órgãos de controle e de fiscalização trabalharão com meu respaldo, sem jamais perseguir adversários ou proteger amigos.

Deixei para o final os meus agradecimentos, pois quero destacá-los. Primeiro, ao povo que me dedicou seu apoio. Serei eternamente grata pela oportunidade única de servir ao meu país no seu mais alto posto. Prometo devolver em dobro todo o carinho recebido, em todos os lugares que passei.

Mas agradeço respeitosamente também aqueles que votaram no primeiro e no segundo turno em outros candidatos ou candidatas. Eles também fizeram valer a festa da democracia.

Agradeço as lideranças partidárias que me apoiaram e comandaram esta jornada, meus assessores, minhas equipes de trabalho e todos os que dedicaram meses inteiros a esse árduo trabalho. Agradeço a imprensa brasileira e estrangeira que aqui atua e cada um de seus profissionais pela cobertura do processo eleitoral.

Não nego a vocês que, por vezes, algumas das coisas difundidas me deixaram triste. Mas quem, como eu, lutou pela democracia e pelo direito de livre opinião arriscando a vida; quem, como eu e tantos outros que não estão mais entre nós, dedicamos toda nossa juventude ao direito de expressão, nós somos naturalmente amantes da liberdade. Por isso, não carregarei nenhum ressentimento.

Disse e repito que prefiro o barulho da imprensa livre ao silencio das ditaduras. As criticas do jornalismo livre ajudam ao pais e são essenciais aos governos democráticos, apontando erros e trazendo o necessário contraditório.

Agradeço muito especialmente ao presidente Lula. Ter a honra de seu apoio, ter o privilégio de sua convivência, ter aprendido com sua imensa sabedoria, são coisas que se guarda para a vida toda. Conviver durante todos estes anos com ele me deu a exata dimensão do governante justo e do líder apaixonado por seu pais e por sua gente. A alegria que sinto pela minha vitória se mistura com a emoção da sua despedida.

Sei que um líder como Lula nunca estará longe de seu povo e de cada um de nós. Baterei muito a sua porta e, tenho certeza, que a encontrarei sempre aberta. Sei que a distância de um cargo nada significa para um homem de tamanha grandeza e generosidade. A tarefa de sucedê-lo é difícil e desafiadora. Mas saberei honrar seu legado. Saberei consolidar e avançar sua obra.

Aprendi com ele que quando se governa pensando no interesse público e nos mais necessitados uma imensa força brota do nosso povo. Uma força que leva o país para frente e ajuda a vencer os maiores desafios.

Passada a eleição agora é hora de trabalho. Passado o debate de projetos agora é hora de união. União pela educação, união pelo desenvolvimento, união pelo país. Junto comigo foram eleitos novos governadores, deputados, senadores. Ao parabenizá-los, convido a todos, independente de cor partidária, para uma ação determinada pelo futuro de nosso país.

Sempre com a convicção de que a Nação Brasileira será exatamente do tamanho daquilo que, juntos, fizermos por ela.

Muito obrigada.

Simão Jatene é eleito novamente Governador do Estado do Pará

O ex-governador Simão Jatene e candidato do PSDB ao governo deve ser considerado governador eleito do Estado do Pará. O dever da cidadania e o poder da democracia exige que os cidadãos do Pará vejam Simão Jatene como Governador do Pará.
Espera-se apenas o resultado matemático do TRE-PA para confirmar essa informação. Congratulações ao governador e ao seu grupo político.

Neste domingo (31/10), Dia Nacional da Juventude, "Peregrino do amor" dos Anjos de Resgate em homenagem a João Paulo II (1920-2005)

Peregrino Do Amor (Anjos de Resgate)

Composição: Dalvimar Gallo

Quanto já me emocionei ao ouvir a tua voz

Quanto já chorei ao ler o que escreveu a nós

Pregou com tua vida e fez a igreja assim crescer

O mundo deu perseguições e Deus te deu consolações

O teu amor embriagou o mundo

Que fez a tantos jovens mergulharem mais fundo

Refrão:

És o Peregrino do Amor

Buscou os jovens com tanto ardor

Ninguem jamais andou por tantas terras

Nem levou a paz a tantas guerras

Tentaram até calar a tua voz

Em troca revelou o Céu a nós

Um Mendigo do meu Senhor

Por isso eu te sigo

Peregrino do Amor

Olhando tua agonia só posso imaginar

Que a própria Virgem Maria veio te buscar

E com os anjos te levou ao mais lindo lugar

E todos os Santos lá estavam a te esperar

Foi por ter buscado a tantos jovens

Que em tua páscoa a juventude veio a ti

Refrão

Tão grande era a força do teu bem

Que até os maus vieram e te buscaram também

Refrão 2:

És o Peregrino do Amor

Buscou os jovens com tanto ardor

De tuas fraquezas não nos fez segredo

E deu a ordem pra não termos medo

A fé não está no corpo que se inclina

Mas está na alma do que crê

Eu creio que és o nosso intercessor

Por isso eu te sigo

Peregrino do Amor

sábado, 30 de outubro de 2010

Entrevista de Edson Oliveira na Rádio Pérola FM a Gerson Peres Filho no sábado 30

Hoje a audiência no rádio bragantino esteve voltada para a entrevista do prefeito de Bragança, Edson Oliveira (PMDB) na Rádio Pérola FM, sendo arguido pelo comunicador Gerson Peres Filho, que foi seu adversário nas eleições municipais em 2008. Num clima muito amistoso, os dois falaram por mais de quarenta minutos, oportunidade em que Edson Oliveira deixou bem claro o seu posicionamento político atual, além de falar sobre a situação de concorrência eleitoral no pleito estadual e nacional. Ainda ressaltou a relação do município e de sua gestão com o Governo Federal e com o Governo do Estado do Pará e o momento atual.

O início da entrevista foi de balanço da relação da prefeitura com a esfera federal. Segundo Edson, seu governo precisou reajustar a vida administrativa da Prefeitura de Bragança, pois encontrou a situação inadimplente e ausência de cadastros em ministérios (como o das Cidades, por exemplo), com folha de pagamento atrasada, R$ 19 milhões de dívidas do INSS entre outros problemas como arrecadação pública municipal (em 2006 a arrecadação interna estava entre R$ 28 e 30 mil e hoje de R$ 350 a 400 mil).

Falou com solidariedade do processo que no momento cassou a eleição de Jader Barbalho (PMDB) ao Senado da República e elogiou o trabalho parlamentar do deputado Jader Barbalho durante todos os anos de sua gestão.

Tanto Edson quanto Gerson se demonstraram bastante equilibrados e diretos nas perguntas e respostas, avaliando obras, políticas, projetos, secretariado, temas polêmicos (como a eleição 2010) e a sucessão daqui a dois anos. A entrevista foi elegante, com uma enorme audiência da população que não desgrudou do rádio em quase quarenta minutos.

Destaco temas e algumas frases significativas da entrevista para a nossa reflexão.

Sobre o Governo Lula e Bragança

1. “O Presidente Lula é um marco divisor de águias na história do Brasil”.

2. “O governo Lula para Bragança não foi um pai, foi pai e mãe”.

3. “Se não tivesse apoio do Governo Lula, a gente estaria no fundo do poço como estávamos antes”.

4. “As portas de Brasília estão abertas para Bragança”.

Edson afirmou que a parceria com o Governo Federal foi satisfatória e muito positiva para o município de Bragança, através de investimentos e melhoramento da qualidade de vida dos bragantinos, especialmente os mais pobres. Além disso, o prefeito citou os motivos pelos quais assumiu a posição ao lado do Presidente Lula e de suas candidatas ao governo federal e estadual nestas eleições. Fez uma referência especial aos programas Pro-Jovem (federal) e Bolsa Trabalho (estadual) que atendem em Bragança um número muito grande de jovens e suas famílias.

Citou as obras que estão sendo implementadas no momento com a parceria do Governo Federal, como a entrega de 1.666 casas do INCRA e benefícios como eletrodomésticos (cada casa custa em torno de R$ 14 mil), pois em Bragança se tem déficit habitacional de 12 mil casas, segundo dados do prefeito. Outras obras que Edson citou foram a construção da Unidade de Saúde da Família do Taíra e a construção do prédio do Campus Avançado da IFPA (antigo CEFET) em Bragança, cuja placa de construção ele recebeu pessoalmente do Presidente Lula, em Brasília.

Sobre o Governo Ana Júlia e Bragança e seu apoio a ela no 2º turno

1. “Nunca um governo do Estado fez tanto por Bragança como esse governo”.

2. “Eu queria poder botar meu cérebro na cabeça do povo de Bragança, para fazer entender a parceria do Governo Federal e do Governo do Estado com Bragança”.

3. “Nós estamos fazendo obras que nunca foram feitas na História de Bragança”

4. “Prefeito não é cabo eleitoral de ninguém”.

5. “Estamos vivendo um momento especial para o nosso município”.

6. “Em nenhum momento, qualquer que seja o resultado da eleição amanhã, eu vou estar arrependido”.

Edson lembrou que o seu pensamento é de membro do Poder Executivo e não do Poder Legislativo. Segundo ele, foi por causa disso que algumas pessoas não entenderam seu apoio à petista Ana Júlia, o que provocou um racha nas opiniões acerca do grupo político do PMDB em Bragança até um tempo atrás.

Disse que a parceria do Governo do Estado com Ana Júlia foi indispensável para que muitas dessem certo. As obras eram o Mercado do Morro, os 18 quilômetros de pavimentação asfáltica na cidade de Bragança, os trapiches no interior como o Trapiche do Tamatateua, a destinação de recursos para a requalificação do prédio da Escola Estadual Monsenhor Mâncio Ribeiro já consignado junto ao Governo do Estado e os recursos do PAC das Cidades Históricas, cujos projetos já estão em análise.

O prefeito disse que a primeira ponte da estrada está sendo construída com apoio do governo do Estado em concreto armado. E o projeto da ponte está sendo acordado com o Governo Federal e com o INCRA para a construção de todas as pontes em concreto.

Sobre o relacionamento do prefeito Edson com a deputada estadual Simone Morgado

1. “Eu não tenho problema nenhum com a deputada Simone Morgado. Não sei se ela tem comigo”.

2. “Eu tomei uma decisão em benefício do povo de Bragança”.

3. “Houve um divisor de águas entre eu e a deputada Simone”.

4. “É uma liderança no Estado fortíssima” e “eu tenho o maior respeito por ela”.

Com um tom respeitoso, mas com um discurso diferenciado Edson manifestou livremente a opção de apoiar Ana Júlia, depois de Jader Barbalho não ter se manifestado a favor de nenhum dos dois candidatos, deixando suas lideranças (como prefeitos e deputados) livres para ajudar e apoiar quem quisessem. Segundo o prefeito de Bragança, 16 prefeitos do PMDB estão apoiando o governo atual, o que não é proibido. E parte dos deputados eleitos estão também direcionando esforços nesse sentido.

Ele se mostrou bastante agradecido pelo apoio de Simone Morgado em várias obras (como o Mirante de São Benedito) e elogiou a liderança inconteste no cenário político regional, como presidente do Diretório Municipal do PMDB. Disse ainda que esse momento de cisão logo passará.

Outras considerações

Edson não cogitou a ideia de se desfiliar do PMDB de Bragança devido esse acontecimento, necessitando (ele) de conversar ainda com o deputado Jader Barbalho. “Não é meu pensamento tomar uma decisão precipitada”, ressaltou o prefeito. Sobre os aliados e supostos inimigos políticos Edson afirmou: “Eu não sou revanchista e não tenho ódios no coração” e ainda falou desse momento político como em “Todas as minhas campanhas eu fiz com amigos”.

O prefeito de Bragança disse ter esperança na questão do processo da Lei da Ficha Limpa e vinculou suas conversas com lideranças do PT sobre a crença de que a questão se resolveria de maneira positiva ao PMDB e ao PT.

“Eu não quero mais ser prefeito de Bragança”. Sobre futuro político de Bragança, Edson fez o que qualquer político na sua posição de prefeito faria. Saiu pela tangente e desviou a atenção para falar de um processo de sucessão ao cargo executivo. Disse que em recente reunião com o seu secretariado, Edson perguntou (em tom de brincadeira) qual deles queria ser prefeito de Bragança e só recebeu a afirmação de Américo Sarmento.

“Eu não sou revanchista e não tenho ódios no coração”. Gerson Peres Filho conduziu a entrevista de forma a manter um clima bastante tranquilo no diálogo com Edson Oliveira. E o prefeito convidou Gerson Filho a compor uma coalisão por Bragança, reconhecendo sua liderança política em Bragança. Gerson não respondeu a esse convite no ar.

“Proibir alguém é do tempo da ditadura, não faz parte desse tempo moderno”. Sobre as escolhas de um/a secretário/a do seu governo, Edson disse a Gerson Filho que desde o 1º turno um/a secretário/a municipal pediu autorização para militar em outra candidatura.

Edson Oliveira respondeu ainda sobre questões mais amenas como os preparativos do Círio de Nazaré 2010 (como a discussão sobre o local para colocação do parque), o Dia de Finados, o projeto de Revitalização do Centro Histórico, o projeto de arborização de Bragança. Outros dois temas em que ouvintes (que ligavam e questionavam) foram a Feira Livre, o Lixão do Marrocos, Coleta Seletiva do Lixo, os 400 anos de Bragança e a infraestrutura do município de Bragança.

Gerson Filho em nome de sua família deixou uma mensagem de solidariedade ao deputado federal Jader Barbalho pelo que aconteceu na decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal.

Como eu sei que Bragança precisa de muita coisa ainda, como eu não sou pessimista e como eu não sou do tipo de gente que acha quanto pior melhor, torço pra dar certo. Com todos juntos. Todos.

É esperar para ver. Até mais.

Você é um "Tô nem aí?"

"TÔ NEM AÍ" foi o tema de uma música que fez grande sucesso há um tempo atrás e que de certa forma expressa ainda hoje o sentimento e a opinião de muita gente sobre diversos assuntos. A música tocou tanto nas rádios, foi tão repetida que formou o que eu chamo de O GRUPO DOS "TÔ NEM AÍ".

Os "TÔ NEM AÍ" existem em qualquer lugar: na família, na empresa, nas ruas... achando que tudo acontece por mágica. Mas é na época da política que o grupo do "TÔ NEM AÍ" mais cresce e aparece. Eles não lêem nada, não assistem nem um comício, palestra, debate político, para conhecer melhor os candidatos, não participam de nada, votam em qualquer um e de qualquer jeito.

Afinal não é comigo. Esquecem eles, que para eles terem o deles, o BRASIL (que é de todos os brasileiros) precisa ter o dele e BRAGANÇA (que é de todos os bragantinos) precisa ter o dela. Não existe mágica. É PRECISO ESTAR AÍ. É preciso envolver-se com a vida, para que a vida envolva-se com você. É preciso dar o melhor de si, para que a vida lhe devolva o melhor da vida.

É PRECISO ESTAR AÍ COM O BRASIL, COM O PARÁ E COM BRAGANÇA, pois só assim vamos ser uma grande nação, um grande estado e um grande município. Político corrupto adora o grupo dos "TÔ NEM Aí", afinal enquanto eles estão nem aí, os políticos corruptos ESTÃO BEM AÍ, pois eles sabem que grande parte dos brasileiros "TÃO NEM AÍ" não acompanham nada, não cobram, não lêem e nas próximas eleições já esqueceram tudo, até em quem votaram na passada.

É PRECISO ESTAR AÍ AMIGO(A), ANTES QUE SEJA TARDE. AH! Já estava esquecendo: E VOCÊ: É UM "TÔ NEM AÍ? Pense nisso...

Vote certo, que você estará AÍ com o Brasil, o Pará e com Bragança.

Mensagem de Lula à militância para as Eleições 2010

Secretaria Municipal de Turismo promoveu o Curso Taxitur 2010

Ontem a Secretaria Municipal de Turismo encerrou mais um curso de qualificação turística e sensibilização histórica destinado aos taxistas de Bragança. A iniciativa foi criada em 2009, com a possibilidade e o crescimento do setor, a SETUR iniciou esse processo de qualificação do setor turístico (chamado ou conhecido como trade, isto é, todos os agentes e as estruturas setoriais do turismo).

O curso foi então chamado de Taxitur (a 2ª edição aconteceu em 2010) e nessa nova etapa iniciou na segunda-feira, (25) no auditório do prédio das Secretarias de Cultura e Desportos e de Turismo em frente à Praça da Bandeira. Promovido pela Secretaria Municipal de Turismo, em sua segunda versão, o curso objetivou o conhecimento aos 20 (vinte) taxistas do processo histórico local, tendo como facilitador o historiador Prof. M.Sc. Dário Benedito Rodrigues, professor da UFPA Bragança. A turismóloga Socorro Almeida participou do curso com a qualificação para aprendizagem e construção de roteiros turísticos. Já a Secretária de Turismo, a turismóloga Josilene Casseb, ministrou palestra sobre o potencial turístico de Bragança e sobre os projetos e iniciativas da Prefeitura de Bragança no setor.

Segundo Josilene Casseb, o curso proporcionou aos taxistas um melhor conhecimento sobre a história e a cultura locais, fazendo com que possam levar aos seus clientes, sobretudo aos turistas que nos visitam o ano inteiro. Ontem (sexta-feira, 29), no Restaurante Benquerença, a SETUR promoveu a noite de confraternização, entrega dos certificados de participação, colagem dos selos/adesivos de identificação do carro do Taxitur 2010, sorteio e entrega de brindes, coquetel e jantar, com a presença de convidados e autoridades.

O destaque da noite ficou para a apresentação do nosso amigo Macarrep, jovem talento do hip-hop local e participante do Curso de Acessibilidade Turística, além de membro do Grupo Espaço Cultura de Rua, no bairro da Aldeia. Isso sem contar no clima agradável e fraterno entre os taxistas e suas famílias, que estavam bastante empolgados e até emocionados com a iniciativa. Que o diga o MC Pila (apelido no curso do Sr. Joseir Fonseca, taxista há mais de 35 anos). O proprietário do Restaurante Benquerença, Sr. Paulo Osterne, incentivado dessas boas iniciativas, ofereceu um jantar regado a pratos da culinária regional a todos os taxistas e convidados. Ao final, recebi um certificado como palestrante e pela contribuição pessoal e voluntária ao projeto e aos cursistas.

Visita da Imagem de Nossa Senhora de Nazaré à UFPA Bragança

A imagem que peregrina no mês que antecede o Círio de Nazaré 2010 em Bragança esteve ontem (sexta, 30.10) na Universidade Federal do Pará, Campus Universitário de Bragança, sendo recebida pela comunidade acadêmica (discentes, docentes e servidores) com grande alegria.
A Prof.ª Roberta Alexandrina da Silva, diretora do Curso de História, representou a Coordenação da unidade, que recebeu a imagem da Sra. Maria do Socorro Ribeiro da Costa, secretária da Diretoria do Círio de Bragança.
Eu estava presente e pude perceber que a cada dia é preciso testemunhar Jesus nas ações da vida humana. Pude falar um pouco da visita e do significado tão particular da religiosidade na Amazônia.
Ao final, todos os que acompanharam aqueles minutos de oração puderam aproximar-se da imagem e fazer sua prece, seu pedido, sua contemplação e levar uma imagem para casa via câmeras diversas.
Obrigado Virgem de Nazaré! Traz-nos sempre o teu Jesus.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Estava assim no site: Bragança quer a reeleição de Ana Júlia

Bragança quer a reeleição de Ana Júlia

26/10/2010 23h27

Mais de seis mil pessoas receberam com empolgação a candidata Ana Júlia e seu vice, Anivaldo Vale, na visita à Bragança realizada nesta terça, 26 de outubro. Na cidade, os dois participaram de uma grande carreata com mais de mil veículos e de um comício aberto, onde receberam apoio de lideranças e do prefeito local, Edson Oliveira (PMDB).

No comício, Edson deu um depoimento emocionado. “Nossa cidade passa por uma grande transformação, que acontece pelas mãos de Ana Júlia e Lula. Graças à ela, foi possível concretizar o maior projeto de asfaltamento da cidade”.

Ele diz que a parceria com a petista fez com que a prefeitura tivesse 79% de aprovação. “Mais de 40 projetos na área social foram colocados em prática por causa da nossa parceria com o governo do PT. Se o Pará perder essa mulher, o Estado perde muito”, afirmou.

Em discurso, Ana Júlia destacou o que foi feito no município. “São 18 km de asfalto na cidade, quatro infocentros do Navega Pará implantados, 800 jovens atendidos pelo ProJovem Urbano, mais de 400 casas sendo erguidas através do ‘Minha Casa, Minha Vida’ e seis viaturas entregues recentemente para a polícia. Com o PAC das cidades históricas, R$51 milhões vão recuperar prédios históricos e qualificar agentes turísticos, gerando emprego e renda para a população. Com a Dilma, vamos urbanizar o Cereja”.

Ela ainda finalizou dizendo que Jatene não dará continuidade ao seu trabalho por dois motivos. “Primeiro: por que ele não governa para o povo. Segundo: Porque o povo não vai deixar ele voltar”.

Fonte: http://www.anajulia13.com.br/braganca-quer-reeleicao-de-ana-julia

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Comparando os projetos para a Juventude de Ana Júlia 13 e do outro candidato

Artigo

Ana Júlia x Jatene: comparando projetos para a juventude

28/10/2010 23h58

Por Leopoldo Vieira – Coordenador de Juventude da Campanha Dilma no Pará.

Recentemente alguém do PSDB – talvez não de corpo, mas de coração – disse que era hora não de debater idéias e propostas para a juventude e de seu lugar num projeto de desenvolvimento, mas de consolidar o programa de governo do candidato do PSDB, Simão Jatene, que já estaria com a eleição ganha.

“Eleição só acaba quando termina”. Essa é uma máxima que poucos, hoje, ousam questionar, mas creio que já até passa da hora, sim, de comparar os programas da juventude petista e da juventude tucana e o que representam para o futuro do Pará e da população entre 15a 29 anos.

Os jovens representam 1/3 de toda a população brasileira e paraense e, segundo o IPEA, não teremos tão cedo, em números absolutos, tantos jovens como hoje. Isso constitui um bônus ou janela demográfica, ou seja, uma oportunidade histórica de dar um salto na qualidade de vida da nossa sociedade em curto prazo.

Num panfleto que vem sendo distribuído desde o primeiro turno, dizendo que a parceria Jatene-Flexa e, agora, só Jatene, é bom para a juventude, vê-se claramente como o neoliberalismo articula o bônus ou janela demográfica com suas teses essenciais de corte de investimentos e política econômica desfavorável ao emprego e à renda:

- Bairro Digital – Implantar o bairro digital com acesso grátis a internet abrindo aos jovens possibilidades de se conectar ao mundo e ao século XXI.

Ora, Ana Júlia implantou o NavegaPará, que já atinge 3 milhões de paraenses, a maioria jovens, que promove educação à distância e inclusão digital. Nossa meta, é ampliar isso para quase o dobro. Logo, a proposta tucana, é um recuo imensurável nos investimentos nesta questão decisiva para o desenvolvimento do estado via atual geração. De que bairro estão falando? O que o governo do PT colocou na ordem do dia foram cidades digitais, como Santarém já é!

- UNITEC – Criar a Universidade Tecnológica do Pará – UNITEC para ampliar e qualificar a nova geração de técnicos.

- Escola de Trabalho – Expandir a rede de ensino profissional em 12 novas escolas de trabalho e produção.

As Escolas de Trabalho de Produção, até 2006, atendiam a 1.029 alunos matriculados em 12 unidades, com um índice de evasão de até 60% em alguns cursos e uma média de 143 alunos por unidade. Hoje, atendem 9 mil jovens e a taxa média de evasão caiu para 17%. Mas, essa revolução nas antigas ETTPs se articulam com a inauguração, pelo nosso governo, da rede de tecnológica que Jatene chama de “Universidade”. O Pará foi o primeiro estado a se habilitar para a verba de 93 milhões para a construção das escolas tecnológicas em todas as regiões do estado. Este ano já foram repassados cerca de R$ 15 milhões para a adaptação das 12 escolas herdadas e a meta de viabilizar o total das 29 previstas já consta no programa do segundo mandato.

Para além disso, Ana Júlia planeja avançar no segundo governo, incluindo reserva de vagas para jovens agricultores poderem se preparar e permanecer produzindo com ciência no campo a segurança alimentar do estado; disciplinas agrotécnicas nos currículos, sem falar na assessoria de projetos específicos para o jovem rural a ser criada na EMATER.

-Escola Legal – Criar a escola legal para premiar os melhores alunos e professores.

Na educação, a regra geral eram escolas sem laboratórios de informática, bibliotecas e material pedagógico básico, como giz e apagadores; salas com déficit de cadeiras, arrocho salarial absoluto, ausência de transparência ao repassar verbas públicas para Organizações Sociais (OS) controladas por políticos da União Pelo Pará e, novamente, a precariedade: nada menos que 12 mil trabalhadores temporários foram contratados sem qualquer critério republicano. 67% era só a soma das perdas dos servidores. Enquanto o governo do PT reformou 650 escolas, distribuiu um milhão de kits escolares e implantou a meia-passagem intermunicipal para 100 mil jovens, Jatene e o PSDB propõe retomar o modelo anterior e um bônus, onde incluem quadras poli esportivas como “brinde” às comunidades escolares que, literalmente, se virarem “nos 30″. Aqui, o ápice da retomada da agenda neoliberal. Nenhuma linha sobre a UEPA, onde orçamento destinado à UEPA no último ano do governo Jatene era de acanhados 65 milhões de reais, aumentando sob o governo de Ana Julia para 154 milhões de reais. Em 2006, sob o governo Jatene, a Universidade tinha 17 cursos de graduação. No governo Ana Julia ampliou para 22. Os cursos interiorizados passaram de 13 para 17. A UEPA atendia no governo Jatene 13 municípios, sob o governo Ana Julia atende 50 com 16 presencial e 37 semi presencial e à distância, contemplando mais 13.500 alunos através de ensino regular e de programas como PARFOR, EAD, PTP. No tempo de Jatene, a universidade que é do Pará, tinha apenas 300 mil para assistência estudantil, hoje são mais de 2 milhões nas ações. Para avançar mais, vamos criar políticas de democratização ao acesso do ensino superior a jovens negros e de baixa renda.

-Estágios – Trazer de volta o Galera Aprendiz para fomentar o primeiro emprego.

Essa é a política que Jatene contrapõe aos 70 mil jovens atendidos pelo Bolsa-Trabalho, com 22 mil inseridos no mercado formal e com meta de ampliar para mais de 100 mil beneficiados. Sem contar a criação de mecanismos estruturantes previstos no plano de governo de Ana Júlia aos jovens, como incluir cursos rurais e reserva de vagas para jovens vítimas de exploração sexual e egressas de gravidez precoce indesejada.

-Centro de confederações – criar o centro de confederações na mesma área da praça da juventude.

-Ginásio – Construir ginásios poliesportivos no interior, a começar por Santarém e Marabá

-Força aos talentos – trazer de volta o programa Fabricação de ídolos.

-Praça da Juventude – Construir a Praça da Juventude no entorno do Mangueirão com a prática de esportes de alto rendimento com quadras cobertas e piscina olímpica com capacidade para 10 mil pessoas. Enquanto o PSDB promete isso à juventude, o Ministério dos Esportes já começou, no Pará, a preparar a implantação das verdadeiras Praças da Juventude, do presidente Lula, das quais o Pará se beneficiou com 5 unidades, numa emenda de 10,5 milhões da bancada paraense (coordenada por Paulo Rocha), que incluem em seu complexo sete mil metros quadrados, com ginásio poli esportivo coberto, pistas para salto triplo e à distância, pista para caminhadas, quadra de vôlei de praia, área de exercícios, campo de futebol society, pista para skate, teatro de arena, centro de convivência da terceira idade com sala de ginástica, quiosque de alimentação, vestiários e arquibancadas, dentre outros Congresso Nacional. As primeiras cidades beneficiadas pela construção dessa estrutura serão Belém, Parauapebas, Curionópolis, Redenção e Abaetetuba. No programa de governo de Ana Júlia, se projeta a interiorização da CASA da Juventude, agora com equipamentos semelhantes às do programa Federal – quadra poli esportiva, anfiteatro e sala de projeção – onde vinculam às atividades desenvolvidas neste espaço editais de cultura juvenis, que a SECULT já executa, e o bolsa-talento, da SEEL da esquerda. Os critérios seriam chegar aos municípios atendidos pelo Pro Jovem e Bolsa-Trabalho. Sem contar que, no PAC 2, estão previstas as construções das Praças do PAC, com aporte Federal, bastando o município se credenciar e com a mesma estrutura das Praças da Juventude, do Governo Federal, e ginásios esportivos, com o mesmo critério, sem ser “brinde” do sucateamento, em todo o país.

- Apoio aos Jovens – Manter e ampliar todos os benefícios concedidos aos jovens em políticas mantidas pelo governo.

Esse ponto é uma evidente confissão de que a descontinuidade será a lei básica da prática de um hipotético governo Jatene, pois não se refere a nenhum dos que existem articulados ao seu plano de governo, sem metas, objetivos e mensagem aos jovens parauaras.

Ana Júlia sabe que sem uma política clara para a juventude, não se pode falar sério em projeto de desenvolvimento com justiça social.

Sabe que se criarmos condições para o jovem não precisarem abandonar cedo a escola para trabalhar, conseguir concluir seus estudos, ter chances de entrar numa universidade, ter, na hora certa, uma educação profissional para conquistar um emprego com todos os direitos, conseguir retomar os estudos e trabalhar depois de uma gravidez precoce, ficar no campo para produzir e viver bem com sua família e não cair, na cidade, no crime, drogas e prostituição; ter espaços para o esporte, ter renda para torcer num Re x Pa ou ir ao cinema com a namorada e crédito para construir sua família sem precisar dividir casa com outros parentes, etc., será bom para todo o Pará, porque teremos estabelecido as bases de uma profunda transformação social.

Jatene, seguindo a cartilha neoliberalizante do PSDB, irá fechar a janela e transformar o bônus demográfico em dívida social. Jatene e o PSDB quando saíram do governo em 2002, deixaram os jovens paraenses submetidos ao 19º pior Índice de Desenvolvimento Juvenil (IDJ) do país. O IDJ foi criado pela UNESCO em 1997, com última atualização em 2003, e mede a situação dos jovens nas áreas de educação, renda e saúde. Se analisarmos os critérios do índice isoladamente, considerando a faixa etária de 16 à 24 anos e os 26 estados mais o Distrito Federal, o Pará ocupava o 18º lugar em alfabetização, 23º em escolarização adequada, 14º em qualidade de ensino, 19º em educação, 1º em mortalidade por causas violentas, 9º em saúde, 22º em renda familiar per capita e 22º em renda.

A vitória desse projeto é andar para trás ao que está sendo no Pará hoje, que caminha rumo a uma política estadual de juventude e, principalmente, no Brasil de Lula e Dilma.

Imagem inicial: Ana Júlia assinou o Pacto pela Juventude (Adesões de candidatos ao Pacto pela Juventude)

Fonte: http://www.anajulia13.com.br/ana-julia-x-jatene-comparando-projetos-para-a-juventude

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Banda Sons do Caeté de Bragança: Campeã 2010 do Concurso de Bandas e Fanfarras em Salinas

Recebi com grata satisfação a notícia de que a Banda Sons do Caeté, de Bragança, foi a campeã na Categoria Banda Musical no Concurso de Bandas e Fanfarras de 2010 que aconteceu no último final de semana (24 e 25.10.2010) na cidade de Salinópolis (Salinas). Em nome deles, dirijo um especial agradecimento à Prof.ª Eulina Rabelo, Secretária Municipal de Educação, que atendeu ao meu pedido e possibilitou o deslocamento desses talentosos e esforçados jovens até Salinas. Veja os resultados, as fotos e o vídeo:
Banda Musical: 1º lugar - Banda Sons do Caeté (Bragança/PA)
Regente: 1º lugar - Moisés da Banda Sons do Caeté (Bragança/PA)
Baliza: 2º lugar - Soraia da Banda Sons do Caeté (Bragança/PA)
Cavalheiro-mor: 2º lugar Denilson da Banda Sons do Caeté (Bragança/PA)
Os integrantes da Banda Sons do Caeté me agradeceram por escrito e me encaminharam fotos e vídeos sobre a sua participação. Com uma parte desses jovens eu pude conviver nos anos em que trabalhei como docente e gestor da Escola Estadual Luiz Paulino Mártires e vejo que os talentos deles precisa ser colocado em evidência. Façamos isso então. Me empenharei em ajudar no que for possível e onde meus esforços possam ser bem aproveitados, pois podemos implementar ainda mais inclusão social através da música.
Congratulações a todos os membros da agremiação musical. Contem sempre com quem pode valorizar as coisas de Bragança, pelo que conhece e pelo amor ao adjetivo pátrio bragantino. Parabéns. Valeu!

Imagens e Vídeo (menor qualidade de definição) na avaliação do júri,
por Valber Brito (Banda Sons do Caeté)

Sobre o Comício de Ana Júlia em Bragança (26.10) e outros assuntos das Eleições no Pará

Ana Júlia 13 esteve em Bragança, pela nona vez, duas como candidata e sete como Governadora do Estado do Pará. Não vou ficar aqui só contando "causos", vamos a algumas impressões sobre essa visita que entrará para a história política recente de Bragança, após a adesão de Edson Oliveira à campanha de Ana Júlia.
Ana Júlia 13 conseguiu reunir no mesmo palanque os três candidatos ao governo municipal das últimas eleições em Bragança, Edson Oliveira (prefeito, pelo PMDB), Pe. Nelson Magalhães (pelo PT) e Gerson Peres Filho (pelo PP) além de lideranças consideráveis para o trabalho que está sendo desenvolvido em Bragança. Por que será? Sem ingenuidades políticas, é fruto da militância, da liderança e da pessoa desses apoiadores e da própria Ana Júlia.
A carreata que passou por várias ruas e bairros de Bragança reuniu mais de mil veículos entre carros, motocicletas e ônibus, causando um grande impacto na comunidade, como uma (senão a maior) das mais concorridas carreatas de campanhas políticas que a cidade já viu. Ana chegou logo em seguida e foi recebida na Praça das Bandeiras, de onde discursou para a multidão que somou certamente mais de 10 mil pessoas.
Olha, não sou filiado a partido político nenhum, tenho simpatia e respeito por muitos políticos e representantes de vários patidos (como PT, PMDB, PSOL, PC do B, PV, PP e até do PSDB), por vários motivos, entre eles a de poder tomar uma atitude crítica independente em momentos como esses de eleições, como historiador. Segundo, porque ainda não me vejo em parte contemplado nas lideranças políticas que assumiram os destinos de Bragança nos últimos dez anos. E em terceiro lugar, por obediência à minha consciência. Ainda não deu! Quem sabe depois.
E neste ano, resolvi não me envolver diretamente na campanha por causa do luto pelo falecimento de meu querido e saudoso padrasto João Paes Ramos. Fiquei aqui pela internet. Pelas recentes ofensas que recebi por e-mail ou por comentários (impublicáveis, tamanho o desrespeito e o ódio gratuito não por mim, mas pela opção política que tomei há muito tempo), percebo que falta muita maturidade política nos políticos. Mandei e-mail a vários amigos sobre meu apoio (e meu voto foi dividido em vários partidos, não somente em um especificamente), mas votei por Bragança.
Qual é o certo nessa história toda? Aqui embaixo (nível de Bragança), o povo fica brigando, passa a vida toda discutindo e depois, por causa do poder, senta na mesma mesa e conversa. E as traições? E as confusões? E as vinganças? Eu vi foi muita coisa dessas. E só fico chateado em ver gente que que a gente gosta se desrespeitando mutuamente. E ainda, espalhando ódios, rancores e inverdades (vide twitter de vários bragantinos filiados a partidos políticos) como se pudessem tripudiar em cima de nossa pouca inteligência. Ora, tentar, até que tentaram. Infeliz aquele que fica brigando por política em Bragança. Pelo que já vi e pelas perseguições que passei (como professor da SEDUC) e que vi, ajudei a resolver em parte e me solidarizei com colegas perseguidos. Isso é fato, não coisa de época de política.
De 2007 para cá, muita coisa aconteceu, outras não. Pudera... a imprensa que o diga. E ainda, Ana Júlia conseguiu um governo de coalisão, não sei, mas que muitos dos partidos e líderes políticos que agora estão em outros palanques estavam sim, com Ana Júlia, estavam. Eu pude participar de vários desses momentos e tenho registros fotográficos em Bragança e em outras cidades.
Nomeações, cargos, negociações, presentes, visitas, aparições em eventos, inagurações, entrega de cartões, registros de presença, assembleias do PTP, Marujada (ih... nem se fala!) tudo isso... Não fizeram nada sozinhos, mas com o apoio inegável do Governo do Estado (não digo somente de Ana Júlia enquanto titular, digo do Estado como ente federativo). Aí falam que fizeram isso, fizeram aquilo. Sim, a presença e o apoio são fundamentais. Mas daí propalar inverdades é o cúmulo... Nem me estresso com isso. Isso é coisa de época de eleição. Já vivi isso. Já vi como funciona. Depois se esquecem de tudo e ficam todos amigos de novo.
Os avanços em várias áreas são visíveis. E isso ficou claro nas palavras emocionadas do prefeito de Bragança no trio elétrico. Edson falou que Ana Júlia foi fundamental para o diálogo e para o melhoramento das condições de vida de milhares de bragantinos, governando para quem não estava sendo atendido pelo governo antecessor.

Para minha visão (um pouco sem tanta experiência política, mas nem por isso sem juízo e com ódio), Ana Júlia retoma um caminho de vitória em Bragança, já que conseguiu agregar muitos valores políticos, como uma militância que precisava ser revigorada, incentivada, animada. O apoio de Edson foi, certamente, fundamental nesse processo todo. Mas tem gente alijada por compromissos com outros candidatos. E que certamente colocam em risco boa parte do futuro político de nossa cidade. Agora é esperar para ver se os votos dos bragantinos obedecem a algum fator político como o apoio do prefeito e ou de algum político e liderança a Ana Júlia ou a outro candidato. Presumo, pelo que conheço de Edson e de sua capacidade de colocar em campo um trabalho eleitoral como em sua própria eleição, que a virada de Ana Júlia 13 vai acontecer. Eu torço por isso. Até mais.

VIII Seminário de Museologia, História e Documentação

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Comício de Ana Júlia em Bragança

Não perca o Comício de Ana Júlia 13 em Bragança. Será na Praça da Bandeira às 19h. Não falte. Leve a sua família. Só para lembrar: é a nona vez que Ana Júlia virá como governadora e como candidata à Bragança. Te aguardo por lá.

domingo, 24 de outubro de 2010

Até daqui a pouco, Virgem de Nazaré

Leia essa matéria de 2004

Publico aqui uma reportagem do Jornal Tribuna do Caeté, Ano IX, Edição nº 172, que circulou notícias entre 07 de abril e 09 de maio de 2004. Isso porque ouvi o agora candidato ao Governo do Pará dizer que ele tratava bem o funcionalismo público, especialmente os professores da SEDUC, com estima e apreço, tudo a peso de redução de carga horária e manutenção de desmandos através da Justiça. Mas como existem historiadores, leia só. Depois avalie, viu? Afinal, tem gente de memória curta... poxa vida.

O que disse Edson Oliveira, apoiando Ana Júlia

“Ana Júlia tem sido uma grande parceira de Bragança. Ela deu muito apoio ao município e eu não poderia tomar outro caminho por tudo que Ana Júlia fez por Bragança. É a melhor governadora que o Pará já teve”.

(Do prefeito Edson Oliveira, de Bragança/PMDB, ao declarar apoio neste sábado. Contando com Oliveira, já são 19 os prefeitos do PMDB que estão com a Frente Acelera Pará e continuamos conversando com outros prefeitos).

Edson Oliveira relembrou o que o povo de Bragança recebeu durante nosso governo:

· Recurso para a construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que já está depositada na conta da Prefeitura;

· Hoje, o município possui o segundo maior projeto de política habitacional do Estado, com a construção em andamento de 414 casas populares pelo Fundo Nacional de Habitação e Interesse Social (FNHIS);

· O produtor rural recebeu assistência técnica, distribuição de sementes, vacinação de gado e o repasse de cinco tratores agrícolas;

· O CredPará beneficiou 235 pequenos empreendimentos;

· O Bolsa Trabalho beneficiou 600 jovens;

· O Pró-Jovem beneficiou mais 700 jovens com capacitação profissional;

· 10 Escolas foram reformadas;

· Os estudantes receberam material escolar e uniforme;

· 585 professores tiveram Cred-Leitura;

· Bragança recebeu a retransmissora da TV Cultura, possibilitando aos bragantinos assistir ao campeonato paraense de futebol;

· 4 Infocentros e livre acesso a sinal de internet sem fio na Praça São Benedito;

· 1 ponto de cultura em apoio à Marujada e apoio financeiro à festa popular;

· Tornamos a Marujada de Bragança Patrimônio Cultural do Povo Paraense;

· Construção do Mirante, incentivando o turismo;

· A Saúde em Bragança foi fortalecida, com a construção de 3 unidades de saúde da família;

· Reforma e ampliação de um posto de saúde;

· Construção da Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) neonatal;

· Construção de uma UTI com 30 leitos no Hospital Antônio Maria Zaccaria;

· Implantação do serviço de hemodiálise;

· Repasse de recursos para epidemiologia, farmácia e atenção básica;

· Fortaleceu a Segurança, com o repasse de 14 viaturas, reforma do quartel da PM e aumento do efetivo policial.

Fonte: http://anajuliacarepa13.blogspot.com/2010/10/o-que-disse-prefeito-oliveira-de.html

E eu complemento, atualizando as obras da Governadora que mais visitou Bragança,, em seus repasses de recursos e obras em Bragança:

· Foram 2 pontos de Cultura (01 da Marujada e 01 do Grêmio Musical Nazeazeno Ferreira).

· Apoio à 1ª Conferência Municipal de Cultura;

· Apoio, orientação e entrega dos títulos de propriedade na Política de Regularização Fundiária;

· Recuperação da Imagem do Glorioso São Benedito de Bragança;

· Apoio com Editais de Cultura para manifestações culturais e religiosas como o Festival Junino de Bragança, Garota Pérola FM, Carnaval de Bragança, Sagrafest (micareta católica), Marujada de São Benedito, entre outras;

· Internet do Navega Pará também na Praça das Bandeiras;

· Apoio ao pioneiro projeto Aluno Repórter (Imprensa na Escola) pela Fundação Educadora de Comunicação;

· TV Cultura para assistir a programação toda, não só o futebol;

· Convênio de repasses de recursos para o Transporte Escolar;

· Convênio de repasses de recursos para reformas e construção de unidades escolares da Rede Municipal;

· Repasse de recursos para o asfaltamento da cidade;

· Projeto Escola de Portas Abertas em 4 Escolas Estaduais (Bolívar Bordallo, Luiz Paulino, Rio Caeté, Mário Queiroz);

· Nomeação de gestores através de Eleição Direta para Direção de Escolas;

· Repasse de recursos da FAPESPA para Projetos Escolares do Ensino Médio;

· 1ª. Feira do Vestibulando de Bragança;

· Prêmio para Professores e seus Blogs;

· Feira do Livro em Bragança com Escolas Estaduais da 1ª URE Bragança;

· Ajuda aos eventos escolares das Escolas Estaduais;

· Projeto Xadrez na Escola implementado;

· Repasse de materiais esportivos para as Escolas Estaduais;

· Repasse de recursos para construção do Complexo Rosa Blanco (tiraram a placa);

· Convênio para manutenção de Escolas de Regime Conveniado com diversas instituições e Igrejas;

· Entrega de Viaturas para Polícia Militar;

· Equiparação da filial do Centro de Perícias Renato Chaves em Bragança, dando pleno funcionamento;

· Assinatura do Convênio PAC das Cidades Históricas (Bragança teve o projeto mais conceituado e preparado) para requalificação do Centro Histórico e outros equipamentos;

· Requalificação e adequação da Agência do CREDPARÁ e do BANPARÁ;

· Atendimento ao funcionalismo público do Estado (SEDUC) com melhor qualidade na 1ª URE, sem perseguições;

· Programa de Educação Patrimonial em Bragança;

· Apoio à realização da 1ª Plenária Municipal da Juventude e financiamento exclusivo do Governo do Estado à participação de Bragança na 1ª Conferência Nacional de Juventude;

· Repasse de maquinário agrícola para a Prefeitura de Bragança.

· Presença do Governo do Estado no Município de Bragança, só Ana Júlia visitou oficialmente 8 vezes Bragança.

Falta mais coisa ainda...