sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

Meu tio Benedito Lázaro Rodrigues partiu (*02.03.1944, +08.01.2021)


Meu tio Benedito Lázaro Rodrigues sempre foi e sempre será uma referência em todos os sentidos, para além do laço familiar. Sempre meu amigo, meu confidente, um homem de fé, um cristão exemplar, um esposo, pai e avô devotado e um profissional respeitado em tudo o que fez.

Em seus 76 anos de vida entre nós, sempre vivenciou uma personalidade firme, austera, de palavras certas nas horas certas, de cuidado e de carinho, de zelo e de fé. Suas lições ficam para a vida toda.


Minha admiração e ligação filial com ele vem de muito, por muito e em tudo. Por exemplo, foi meu tio quem me disse que meu pai Jocelino havia partido naquele doloroso dia 26 de setembro de 1984, de manhã, em casa. E desde lá, em grande medida, ele tornou-se a minha referência de pai. 


Era o terceiro filho de uma família extensa e o primeiro filho homem de meu avô Manoel Paes Rodrigues e de sua primeira esposa Felícia de Oliveira Rodrigues e recebeu o nome de Benedito Lázaro Rodrigues, nascido em Bragança, no dia 02 de março de 1944. Teve cinco irmãos desse matrimônio, Benedita de Oliveira Rodrigues (in memoriam), Ana Leopoldina da Costa Rodrigues (in memoriam), Zelina Deoclécia Rodrigues Moraes, José Raimundo de Oliveira Rodrigues e João Nazaré de Oliveira Rodrigues. Sua mãe faleceu em 1949.


Meu avô casou pela segunda vez com minha avó Joana Dolores Rodrigues, tendo com ela outros oito filhos, sendo minha Mãe, Antônia Maria do Socorro Rodrigues Ramos, Raimundo Mariano de Aviz Rodrigues (in memoriam), Raimundo Nonato de Aviz Rodrigues, Paulo Roberto de Aviz Rodrigues, Maria Alice Rodrigues de Azevedo (in memoriam), Domingos Sávio Paes (in memoriam), Pedro Aurélio de Aviz Rodrigues e Antônio Zacarias Paes.


Benedito Lázaro, como todos os seus irmãos, recebeu formação religiosa católica, muito apegado à Igreja e por muito tempo ajudou como coroinha os padres da então Paróquia de Bragança, a Igreja Matriz, hoje Catedral de Nossa Senhora do Rosário. Tinha um orgulho muito grande em dizer que recebeu a Sagrada Comunhão das mãos de Dom Eliseu Maria Coroli.



Ele apresentou desde jovem o desejo de se tornar sacerdote. Isso o levou a se integrar à Sociedade de São Francisco de Sales, fundada por São João Bosco em 1859, os chamados Padres Salesianos. Morou em diversos seminários como o de Porto Velho, em Rondônia. Morou na Itália e cursou os anos iniciais da vida sacerdotal. Dessa caminhada herdou duas devoções particulares, de Nossa Senhora Auxiliadora, de São João Bosco, além de São Domingos Sávio. Uma das frases de Dom Bosco tornou-se o lema de sua vida: “O Senhor nos colocou neste mundo para os outros”.



Por sua escolha pessoal deixou o seminário para residir novamente em Bragança, na década de 1970. Atuou em diversos movimentos da Igreja, como Treinamento de Lideranças Cristãs (TLC), além das funções de catequista. Trabalhou no Sistema Educativo Radiofônico de Bragança e foi secretário pessoal de Dom Miguel Maria Giambelli (primeiro bispo diocesano de Bragança).



Casou-se em 1º de outubro de 1983 com minha tia Maria Evanilde de Quadros Rodrigues, na primeira Capela do Instituto Santa Teresinha, sob as bênçãos do então Padre Luís Ferrando (hoje Dom Luís Ferrando, segundo bispo diocesano de Bragança). Eu participei do seu matrimônio como pajem e recordo todos os detalhes daquele dia, especialmente de ir à frente de minha tia e seu irmão Gildo na capela do Colégio. Com tia Evanilde teve sua única filha, Ana Cristina de Quadros Rodrigues, Professora de Letras, atualmente Psicóloga e Mestre em Teologia. Casada com José Levítico Silva Santos, tem com ele o seu filho Pedro Arthur Rodrigues Santos, e Marcos José, que está no céu.


Foi nomeado para ser funcionário do SENAI – Centro de Educação Profissional de Bragança em 1986, na função de Caixa (Tesoureiro) e depois Diretor, função que ocupou por mais de duas décadas. No SENAI, tornou-se um exemplo de gestor e formador, tendo recebido vários prêmios pela unidade de Bragança e marcando gerações inteiras de jovens que pelo SENAI receberam além da formação profissional, a formação moral e cristã. Neste ponto, foi criticado por algumas pessoas, já que a escola tinha e tem um regime laico. Mesmo assim, continuou seu trabalho e por ele recebia constantes elogios de seus superiores pela condução desta escola. Ficou marcado em sua gestão os seus diários “bom dia” e “boa tarde” com a gravata, quando ele conversava com os alunos e os orientava, além dos tapetes de Corpus Christi e dos belos desfiles de 7 de setembro. Meu tio chegou a ser homenageado publicamente pelo garbo e pela elegância que o SENAI apresentava na avenida.


Mesmo com todos os seus afazeres profissionais, ele continuou catequista, para a área de Crisma de jovens e adultos e de Batismo para adultos. Ele foi ainda Vice-Coordenador e Coordenador da Festividade de Nossa Senhora de Nazaré (Círio de Bragança) e da Festividade do Glorioso São Benedito, onde atuou desde 1988 até os anos 2000. Tinha um apreço muito grande pela Semana Santa, onde ele e minha tia por muitos anos prepararam a Imagem de Nossa Senhora das Dores que sai na Procissão do Encontro de Sexta-Feira Santa e permanece na Catedral no Ofício de Nossa Senhora das Dores, no Sábado Santo.


Tio Benedito foi padrinho de casamento de meus pais Jocelino e Socorro em 1975, e de João Paes e minha mãe Socorro em 1995. Também foi padrinho de batismo de muitos dos seus sobrinhos, de sua sobrinha-neta Beatriz e de centenas de afilhados e afilhadas de Crisma, que têm por ele enorme admiração e respeito. É uma tarefa difícil tentar precisar o número desses afilhados.


Meu tio se aposentou do SENAI em 2008 ovacionado e passou a cuidar de seus afazeres mais domésticos, de parte de estruturar o Museu de Arte Sacra Nossa Senhora do Rosário, sob a administração do então Pároco Padre Gerenaldo Messias, e dedicou-se ainda mais à Igreja. Manifestou e recebeu da Diocese de Bragança do Pará a autorização para cursar as fases de formação do Diaconato Permanente, onde foi ordenado em 30 de dezembro de 2017, por Dom Jesus Maria Cizaurre Berdonces. Testemunhei com ele e sua família este dia, um dos dias mais felizes de sua vida.


Após se casarem, Ana Cristina e José Levítico tiveram Pedro Arthur, seu grande carinho e o chamego do vovô. Faleceu o seu segundo neto, Marcos José, em 25 de setembro de 2020, um dia triste para toda a nossa família. Com o seu neto, tio Benedito vivenciou uma outra vida, uma enorme alegria, sempre sorridente, feliz e satisfeito com esse presente.


Adoeceu com tia Evanilde em meados de dezembro, com COVID-19. Foram internados no Hospital Geral de Bragança, em 22 de dezembro. Ele mesmo comunicou isso a mim. Passou o Natal no hospital e da janela de seu quarto viu passar em carro aberto o Glorioso São Benedito de Bragança, acenando alegremente da janela do quarto, na tarde de 26 de dezembro. Eu vi isso acontecer. Pela piora de seu estado de saúde, meu tio foi transferido para o Hospital Adventista de Belém em 28 de dezembro, onde permaneceu sob os cuidados daquela equipe médica, entre estados de gravidade e de melhoras circunstanciais, mas com a fragilização de sua condição clínica.


Nestes últimos dias, seu estado clínico se agravou bastante. Diante dessa situação, meu tio Benedito faleceu na madrugada de 8 de janeiro de 2021, às 3h30min em seu leito na UTI do hospital.


A nossa família perde uma referência de homem, esposo, pai, cristão e um grande profissional. Eu não perco um tio, somente. Perco o meu maior amigo em minha família, o meu melhor confidente, o ombro mais largo, o mais carinhoso abraço, alguém que tinha um orgulho enorme de mim, para além do laço sanguíneo. Fica comigo tudo e com todos nós tudo o que ele me ensinou e me exemplou em todos os momentos. Suas memórias serão sempre parte de mim, em todos nós da sua maneira, em tudo o que eu fizer e onde for, pois carrego no meu nome parte do seu.


Esta doença ingrata levou meu tio, mas por ele nós ficaremos de pé, sempre serenos e tranquilos mesmo com tanta dor e sofrer. Cremos firmemente na Ressurreição e no reencontro em breve. Com a mesma força que lhe era peculiar, nós nos manteremos firmes e unidos junto ao amor de Deus e sob a proteção de Nossa Senhora, nosso auxílio e do Glorioso São Benedito, nosso intercessor querido.




Que Deus conforte a família do meu tio Benedito, sua esposa e minha Tia Evanilde, sua filha e minha prima Ana Cristina, seu neto Pedro Arthur e seu genro José Levítico. E em nome de todos da minha família, agradeço tantos e lindos testemunhos e demonstrações de afeto, condolências, amizade, carinho e conforto que nós recebemos nesta manhã.


Que o Senhor Deus nos abençoe e à Igreja Católica de Bragança nas mãos de nosso Bispo Diocesano Dom Jesus e de todo o Clero! Descanse em paz, Tio Benedito Lázaro! Guarde consigo o nosso amor para sempre, assim como nós faremos! Até breve!


Teu para sempre, Dário Benedito Rodrigues.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Minha imagem de 2020 – com minha Avó Joana Dolores Rodrigues no hospital

Entre 31 de maio e 23 de junho de 2020 minha vida teve outro sentido. Estes dias ficarão em minha memória para sempre. Sofri com minha família a doença de minha Avó Joana Dolores Rodrigues acometida de COVID-19 e que aos 91 anos venceu este mal.

Neste período, por aproximadamente uma semana e meia, minha Avó teve certa piora em seu quadro de saúde, o que foi constatado pelos exames que fazia regularmente. Um dia melhorava, noutro dava sinais de cansaço. Uns dias muito bons e animadores, outros sofríveis e angustiantes.

Numa dessas noites, de todos os dias de sua internação, quando a acompanhava, no dia 18 de junho de 2020, uma quinta-feira, por volta de 21 horas, recordo de ter pedido a meu amigo e companheiro LEO Ryan Afonso, que também venceu a COVID-19, que me levasse ao hospital e me trouxesse de volta, pois aquele dia tinha sido bastante cansativo. Assim ele fez, vindo me buscar em casa e me trazer de volta.

Vovó Joana estava serena, tranquila, atenta e usando algumas libras de oxigênio para seu conforto na respiração. Eu conversava com ela, para saber como estava, o que sentia, indagando quando iríamos para casa, o que queria comer quando voltasse e o que faríamos se acaso eu e ela fugíssemos do hospital vestidos de pijama (isso nunca iria acontecer, era uma forma de alegrá-la e fazê-la sorrir diante daquele cenário).

Eu a olhava fixamente e ela me falava. Eu de máscara preta e óculos, a observava atentamente enquanto ela contava mais um de seus dias no hospital e perguntava de tudo da sua casa. Um par de gazes cirúrgicas protegia seu rosto de pele fina e um pouco arranhado do fio de oxigênio que a ajudava a melhorar sua saturação. Dois dias depois, esse apoio foi retirado pelos médicos para que ela retornasse a respirar normalmente, o que de fato ocorreu.

Ao lado de sua cama estava um terço envolto no suporte de soro com iodeto de potássio que ela estava tomando. O mesmo terço fica junto dela em seu quarto todos os dias. E enquanto meu coração estava ansioso e angustiado, eu precisava deixá-la tranquila e serena, para que tivesse uma noite melhor. Conversamos por alguns minutos. Esses minutos eram importantíssimos para mim, para que eu registrasse na memória tudo o que estava vivendo e o que passávamos diante da doença de Dona Joana.

Voltei para casa um tempo depois. E Ryan me mandou depois o registro que fez daquela noite, onde eu e minha Avó Joana conversávamos. Essa imagem é para mim mais que uma simples fotografia. E até hoje, ao rever todos os detalhes da imagem, me emociono pela vitória conquistada de sua cura.

Eu agradeço a Deus Pai, Filho e Espírito Santo pela graça da cura e pela fé que nunca faltou, a Maria Santíssima por seu amparo maternal e ao Glorioso São Benedito, nosso intercessor, que pediu a Jesus essa bênção sobre nossa Joana. Agradeço igualmente a todos que nos ajudaram, da Prefeitura Municipal de Bragança, da Secretaria Municipal de Saúde, da Unidade de Saúde da Aldeia, do Hospital Santo Antônio Maria Zaccaria por meio dos médicos George Marques, Adoniran Pimentel, Iury Damascento, Marcos e Alan Sena e a todos os enfermeiros e servidores.

Naqueles dias, contamos com o apoio de Mariza, Dilma, Juce e Keila e eu particularmente precisei do apoio de Dênis e Tiago que me transportaram dia e noite. Não posso esquecer o querido Marcel Braun (in memoriam), filho de coração da Vovó, que nos ajudou tanto.

Agradeço meus tios e tias, Benedito Lázaro, Paulo, Zacarias, Nonato e Pedro, Evanilde, Fátima e Marta, meu primo Alexandre. E agradeço em especial a força da oração de minha Mãe Socorro e ao amparo carinhoso de minha sobrinha Beatriz. Agradeço aos amigos Arthur, Alef, Ryan, Rosa, Nazaré, Helena, Leila e tantos outros que foram meus ombros naqueles dias.

Deu certo. Tudo transcorreu bem. Vovó Joana venceu esta doença ingrata com sua Força de Vida e de Fé. Estamos angustiados agora com a saúde de meu tio Benedito Lázaro, mas com a mesma Força e juntos cremos no melhor que vem de Deus.

Esta doença já ceifou a vida dos amores de muitas pessoas. E todos nós precisamos ter responsabilidade diante da Vida, consciência do dever coletivo de cuidar uns dos outros, para resistirmos e vencermos esta pandemia. Obviamente, teremos as memórias desse tempo, como esse registro que marca para mim o fim desse ano que nos desafiou em todos os sentidos.

Tenho fé e esperança na cura vinda por meio de homens e mulheres que atuam desde os leitos de casas de saúde até os laboratórios que diuturnamente buscam a cura para esse mal, sendo todos guiados pelas mãos de Deus, Senhor da Vida.

E é por essa razão, pelo trabalho, dedicação, torcida e oração de tantas pessoas, amigos e amigas, que o Dadá, neto da Dona Joana pode hoje compartilhar, mesmo com o coração angustiado, o registro daquele dia, comigo e minha Avó, unidos pelo sangue, nome, família e por todo Amor que nos conectou ainda mais naqueles 23 dias.

Que 2021 seja melhor para todos nós! Até breve!

domingo, 20 de dezembro de 2020

Faleceu a querida Irmã Janete Torres, mst (*17.12.1940, +20.12.2020)

Partiu hoje uma grande amiga, conselheira e Missionária de Santa Teresinha, Irmã Janete Torres, que marcou muitas gerações de alunos e alunas do Instituto Santa Teresinha e era muito querida por todos nós. De grande sabedoria, alegria e carinho, ela deixará em nós uma enorme saudade por seus lindos exemplos de uma vida religiosa simples, discreta, humilde, orante e abnegada. Tinha uma forma peculiar de tratar seus alunos e alunas, sempre como “minha criança”, uma marca da educação teresiana.

Irmã Maria Janete Torres nasceu em Agrestina (PE) em 17 de dezembro de 1940, filha de José Mororó Torres e Joana Alves Torres.

No dia 18 de março de 1960, com a Vestição Religiosa, iniciou o ano de Noviciado canônico. Em 25 de março fez sua Profissão Temporária, adotando o nome religioso de Irmã Maria Janete de Santa Teresinha.

Em 02 de janeiro de 1973, festa do centenário de nascimento de Santa Teresinha, fez sua Profissão Perpétua na Congregação das Irmãs Missionárias de Santa Teresinha.


Serviu a Congregação e a Igreja em diversas funções, como:

a) Professora de 1º e 2º graus das disciplinas Educação Moral e Cívica, Ensino Religioso e História do Brasil.

b) Professora no Jardim de Infância, Alfabetização e 1º Grau (1ª e 3ª series).

c) Diretora da Escola São Miguel na Cremação, em Belém (PA).

d) Diretora do Centro Maternal em Pirambu, em Fortaleza (CE).

e) Atuação na Pastoral da Saúde, no Hospital Santo Antônio Maria Zaccaria, em Bragança (PA).

f) Coordenadora da Catequese na cidade e interior, em Bragança (PA).

g) Professora de História do Brasil na Escola Radiofônica, em Bragança (PA).

h) Vice-Superiora Geral da Congregação em um sexênio.

i) Mestra de Noviças durante 12 anos e 9 meses.

j) Conselheira Geral da Congregação em um sexênio.

k) Professora de Noviças, postulantes e seminaristas.

l) Superiora de várias comunidades religiosas da Congregação, em Fortaleza (CE), em Bragança (PA), em Roma (Itália) e em Viseu (PA).

m) Disciplinária no Instituto Santa Teresinha, de 1990 a 1996.

n) Em agosto de 1996, foi nomeada 2ª Notária Adjunta do processo diocesano do Servo de Deus Dom Eliseu Maria Coroli, por Dom Luís Ferrando em 1996.

o) Em janeiro de 2002 foi liberada para os trabalhos do processo de Dom Eliseu Maria Coroli, um de seus mais dedicados serviços.

p) Em seu último trabalho, na Cúria Diocesana de Bragança (PA), ela atualizou os registros de batizados.

Irmã Janete desenvolveu atividades diversas, sempre com muito zelo, dedicação e eficiência. Embora não sendo escritora, redigiu muito sobre a história de sua família, sobre a história da Congregação e a história de vida de Irmã Edith Almeida de Sousa, co-Fundadora da Congregação das Irmãs Missionárias de Santa Teresinha.

Concedeu-me duas entrevistas sobre Dom Eliseu Maria Coroli, que se tornaram fontes importantes sobre a biografia do bispo italiano e que foram utilizadas na escrita de dois artigos de minha autoria junto com outros colaboradores.

Em um de seus escritos, Irmã Janete disse: “Durante os anos vividos na Congregação, nunca disse um não a nada, sempre que fui solicitada para qualquer trabalho”.

Dotada de um espírito muito forte de oração, demonstrava muito amor pela vocação religiosa e pela Congregação. Foi uma grande e exemplar Missionária de Santa Teresinha e marcou a vida religiosa de diversas gerações de freiras.

Sofreu aos 78 anos um acidente doméstico, com fratura no braço e passou por duas cirurgias para corrigir o problema, sem deixar de participar, por exemplo, da Santa Missa sempre que podia. Seu lugar na Catedral de Nossa Senhora do Rosário era quase sempre o mesmo. Sabíamos que era ela, por sua presença marcante e ao mesmo tempo discreta. De sua residência na Casa Generalíssima das Irmãs Missionárias de Santa Teresinha foi acolhida e recebida na Comunidade das Irmãs residentes no Instituto Santa Teresinha entre 2019 e 2020.

Já com a saúde debilitada, completou 80 anos de vida no último dia 17 de dezembro. E faleceu santamente na manhã de hoje, no Hospital Santo Antônio Maria Zaccaria. Seu corpo foi velado na Capela do Instituto Santa Teresinha, tendo sido realizadas missa de corpo presente e exéquias. Seu sepultamento ocorreu nesta tarde, no Cemitério Santa Rosa de Lima, em Bragança (PA).

Descanse em paz, querida Irmã Janete! E como disse Santa Teresinha, de seu onomástico “Não morro, entro na Vida”!

Fonte: Congregação das Irmãs Missionárias de Santa Teresinha (2020).

Fotos: Dário Benedito Rodrigues, Cássio Henriques e Margarete Alves.

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

Programação da 222ª Festividade do Glorioso São Benedito de Bragança, 2020

DIOCESE DE BRAGANÇA DO PARÁ

PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO

IRMANDADE DA MARUJADA DE SÃO BENEDITO DE BRAGANÇA


222ª Festividade do Glorioso São Benedito de Bragança

Bragança (PA), de 18 a 26 de dezembro de 2020


Tema: Que a exemplo de São Benedito, os jovens sejam intrépidos anunciadores do Amor de Deus


AUTORIDADES ECLESIÁSTICAS

Dom Jesus Maria Cizaurre Berdonces, Bispo Diocesano

Dom Luís Ferrando, Bispo Emérito Diocesano

Pe. Gerenaldo Messias Bezerra de Carvalho, Vigário Geral Diocesano

Pe. Raimundo Elias de Sousa, Pároco da Catedral

Pe. Mayro Chrystian Brito de Araújo, Vigário Coadjutor

Pe. Luís Marconi Maria dos Santos, Pároco de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Pe. José Calazans Pinheiro Corrêa, Pároco do Sagrado Coração de Jesus

Diác. Benedito Lázaro Rodrigues, Diácono permanente

Diác. Manoel Vieira de Souza, Diácono permanente


DIRETORIA EXECUTIVA

Dário Benedito Rodrigues, Coordenador

Maria José de Castro Castelo Branco, Secretária

Melquisedeque Lins Alvão, 1º Tesoureiro

Maria de Nazaré Pascoal Fernandes, 2ª Tesoureira


JUÍZES DAS FESTIVIDADES 2020-2021

Marcos Ferreira Amorim Júnior, Juiz

Íris de Fátima Lima Barbosa, Juíza


IRMANDADE DA MARUJADA DE SÃO BENEDITO DE BRAGANÇA

João Batista Pinheiro, Presidente

Maria de Jesus Rosário Silveira, Capitoa

José Maria Santiago da Silva, Capitão

Aleuda de Jesus Sousa da Luz, Vice-Capitoa

Benedito Geraldo da Silva, Vice-Capitão

Maria de Nazaré Pascoal Fernandes, Secretária

Maricélia dos Santos Reis e Antônia Francilene de Araújo Silva, Tesoureiras


HOMENAGENS PÓSTUMAS

A todas as pessoas falecidas vítimas da COVID-19 em Bragança e em todo o mundo.


PROGRAMAÇÃO

Todas as celebrações exigirão os critérios de segurança e saúde durante o período de pandemia da COVID-19, bem como serão transmitidas pelas plataformas digitais.

Youtube: Catedral Nossa Senhora do Rosário – Bragança Pará

Facebook: www.facebook.com./igrejasaobeneditobragancapa

Instagram: @saobeneditobraganca


08 de dezembro de 2020 (Terça-feira) – Solenidade da Imaculada Conceição de Maria. Lançamento do cartaz da Festividade 2020

19h – Missa na Igreja de São Benedito, com a apresentação do cartaz da Festividade 2020.


17 de dezembro de 2020 (Quinta-feira)

06h – Missa na Igreja São Benedito.


Durante todo o dia, adoração ao Santíssimo Sacramento em preparação à festividade, na Igreja de São Benedito, transmitida pelas plataformas digitais.


19h – Missa na Igreja de São Benedito, sob a responsabilidade da Renovação Carismática Católica (RCC).


18 de dezembro de 2020 (Sexta-feira) – Abertura da Festividade

05h – Alvorada festiva de abertura da festividade, com fogos.

06h – Missa na Catedral de Nossa Senhora do Rosário

16h30min – Pedalada de São Benedito, sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Cultura, Desportos e Turismo.

18h – Saída da Imagem de São Benedito dos Campos, da Igreja de São João Batista, na Vila Sinhá, da Imagem de São Benedito das Colônias, da Igreja do Sagrado Coração de Jesus e da Imagem de São Benedito das Praias, da Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em direção à Igreja de São Benedito.

18h30min – Novena a São Benedito (1º dia), sob a responsabilidade do Grupo Beneditinas.

19h – Missa de abertura da Festividade, sob a responsabilidade do Coral Divina Ruah.


19 de dezembro de 2020 (Sábado)

06h – Missa na Catedral de Nossa Senhora do Rosário.

18h30min – Missa na Catedral de Nossa Senhora do Rosário.

18h30min – Novena a São Benedito (2º dia), sob a responsabilidade do Grupo Beneditinas.

19h – Missa na Igreja de São Benedito, sob a responsabilidade da Comunidade de Santa Teresinha.


20 de dezembro de 2020 (Domingo)

6h30min – Missa na Catedral de Nossa Senhora do Rosário.

8h30min – Missa na Catedral de Nossa Senhora do Rosário.

17h – Missa na Catedral de Nossa Senhora do Rosário.

19h – Missa na Catedral de Nossa Senhora do Rosário.

18h30min – Novena a São Benedito (3º dia), sob a responsabilidade do Grupo Beneditinas.

19h – Missa na Igreja de São Benedito, sob a responsabilidade da Pastoral Familiar.


21 de dezembro de 2020 (Segunda-feira)

06h – Missa na Catedral de Nossa Senhora do Rosário.

18h30min – Novena a São Benedito (4º dia), sob a responsabilidade do Grupo Beneditinas.

19h – Missa na Igreja de São Benedito, sob a responsabilidade da Comunidade de São Pedro.


22 de dezembro de 2020 (Terça-feira)

06h – Missa na Catedral de Nossa Senhora do Rosário.

18h30min – Novena a São Benedito (5º dia), sob a responsabilidade do Grupo Beneditinas.

19h – Missa na Igreja de São Benedito, sob a responsabilidade da Paróquia de São João Batista.


23 de dezembro de 2020 (Quarta-feira)

06h – Missa na Catedral de Nossa Senhora do Rosário.

18h30min – Novena a São Benedito (6º dia), sob a responsabilidade do Grupo Beneditinas.

19h – Missa na Igreja de São Benedito, sob a responsabilidade da Comunidade de São Geraldo Magela.


24 de dezembro de 2020 (Quinta-feira) – Véspera do Natal

06h – Missa na Catedral de Nossa Senhora do Rosário.

19h – Missa da Vigília de Natal no Complexo Poliesportivo Dom Eliseu Maria Coroli, seguida de Novena a São Benedito (7º dia), sob a responsabilidade do Coral de Nossa Senhora do Rosário.


25 de dezembro de 2020 (Sexta-feira) – Natal de Jesus

8h30min – Missa na Catedral de Nossa Senhora do Rosário.

19h – Missa do Natal no Complexo Poliesportivo Dom Eliseu Maria Coroli, sob a responsabilidade da Equipe Missa das Crianças, seguida de Novena a São Benedito (8º dia) e Ladainha com uma Comitiva de Esmolação de São Benedito.

Observação: Dentro das possibilidades e condições de segurança, a Marujada de São Benedito e devotos podem participar com a indumentária em azul, em homenagem ao Menino Jesus.


26 de dezembro de 2020 (Sábado) – Dia de São Benedito em Bragança

Durante o dia serão transmitidos diversos documentários em vídeo sobre a Festividade de São Benedito e a Marujada de Bragança pelas plataformas digitais.

6h30min – Missa na Igreja de São Benedito.

8h30 – Missa na Igreja de São Benedito.

16h30min – Passeio em carro aberto com a Imagem do Glorioso São Benedito do Andor, percorrendo o itinerário saindo do Largo de São Benedito, seguindo a Praça Fernando Guilhon, Avenida Visconde do Rio Branco, Avenida Visconde de Souza Franco, Praça da República, Alameda Leandro Ribeiro, Avenida Santos Dumont, Avenida Marechal Floriano Peixoto, Avenida Nazeazeno Ferreira, Praça da Bandeira, Rotatória do Trevo, Avenida Governador Mendonça Furtado, Anel Viário, Avenida Polidório Coelho até a Praça dos Eventos Estação Cultural Armando Bordallo da Silva.

Ao final, haverá Missa sob a responsabilidade do Coral Divina Ruah, seguida de Novena a São Benedito (9º dia). Após a missa, homenagem a São Benedito, com fogos.

Observação: Dentro das possibilidades e condições de segurança, a Marujada de São Benedito e devotos podem participar com a indumentária em vermelho, em homenagem a São Benedito.

ITINERÁRIO

 Fonte: Google Maps.

Novena a São Benedito (Festividade de São Benedito de Bragança)

NOVENA A SÃO BENEDITO

ORAÇÃO INICIAL (todos os dias)

Ó Glorioso São Benedito, humilde filho de São Francisco, Deus vos escolheu e predestinou para tão alto grau na santidade, vos enriqueceu de graças e de dons prodigiosos, a fim de confundir os orgulhosos deste mundo e revelar o quanto gosta de exaltar os humildes e os pequenos. Vós, que nesta vida fostes um serafim de amor divino, um anjo de pureza, um coração sempre voltado para os pobres e os desgraçados. Vós, que curastes os enfermos em milagres estupendos, convertestes os pecadores e fostes um modelo de oração, de penitência, de intensa vida eucarística e devoção a Maria. Glorioso São Benedito, aqui estamos aos vossos pés, cheios de confiança na vossa poderosa intercessão. Valei-nos em nossas necessidades e aflições! Em vossa vida terrena ninguém recorreu a vós e foi desamparado. A todos socorrestes com milagres e prodígios da vossa imensa caridade. Agora no céu, o vosso poder é maior ainda para nos socorrer. Pedi a Jesus, nos conceda a graça de vivermos conforme a lei divina e por Maria Santíssima, vossa e nossa mãe, a quem invocastes tantas vezes neste mundo pelo Santo Rosário, obtende-nos a graça que ardentemente vos pedimos (pede-se a graça), se for conforme a vontade de Deus e salvação de nossas almas. Valei-nos, Glorioso São Benedito! Vede a nossa aflição neste mundo do exílio, sede nosso poderoso intercessor junto de Jesus e de Maria, e depois das tribulações desta vida, mereçamos a graça das graças: a perseverança final e a felicidade eterna do paraíso, onde convosco iremos louvar ao Senhor por toda a eternidade. Amém!

PRIMEIRO DIA

Glorioso São Benedito, como foi ardente e viva a fé em vosso coração! Fizestes prodígios e milagres estupendos porque vossa fé era capaz de transportar montanhas. Deus nos revelou, através de tantos milagres por vós realizados, o poder imenso da fé. Dai-nos um pouco daquela virtude que vos mereceu tanta glória, hoje no céu, e que tanto voz faz glorificado neste mundo. Em meio a um mundo decrescente e cheio de pecados, ajudai-nos a sustentar nosso combate pela defesa da fé e pelo triunfo da Santa Igreja, nossa Mãe. Que possamos ser como vós fostes neste mundo: o justo que vive pela fé.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai.

Jaculatória: São Benedito, aumentai e sustentai a nossa fé! 

SEGUNDO DIA

Glorioso São Benedito, a esperança fez pulsar o vosso coração e exclamastes muitas vezes: “Tenho a esperança de me salvar, não pelos meus méritos, mas pela misericórdia de Deus e pela sua Santíssima Paixão e Morte”. A meditação do paraíso vos arrebatava em êxtases. “Paraíso, belo paraíso!” eram suspiros do vosso coração. Tivestes uma confiança inabalável na Divina Misericórdia. Alcançai-nos também esta esperança, esta confiança em Deus, para que nós possamos salvar nossas almas, tantas vezes tentadas pelo inferno, com desespero e desconfianças nas provações da vida. Fazei que nosso coração nunca desfaleça numa confiança firme em Deus.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai.

Jaculatória: São Benedito, aumentai a nossa esperança e alcançai-nos o paraíso por vossa valiosa intercessão!

TERCEIRO DIA

Glorioso São Benedito, fostes um serafim de amor divino. Vosso coração, abrasado nas chamas da divina caridade, vos tornou um perfeito imitador de São Francisco. “Tudo pelo amor de Deus!”, foi vosso lema. Em doces êxtases de amor, vivestes longos anos embebidos em altíssima contemplação. Nosso pobre coração, tão frio no amor de Deus vos suplica uma graça: a de amar a Jesus como o amastes neste mundo e morrer num ato de arrependimento de nossos pecados. Nos trabalhos, no sofrimento, na oração, em toda parte e a cada hora, vosso coração palpitou de puro amor divino e morrestes abrasados nas chamas desta divina caridade. Dai-nos um pouco deste ardente amor!

Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai.

Jaculatória: São Benedito, serafim do amor divino, abrasai nosso pobre coração no amor divino!

QUARTO DIA

Glorioso São Benedito, como era grande a vossa caridade para com o próximo! Socorrestes os pobres, curastes os enfermos, deste pão aos famintos, e multidões de infelizes encontravam alívio junto de vós. Vosso coração se enternecia ante as misérias humanas. Vossa vida foi um tecido de obras de caridade espirituais e corporais. Fazei nosso coração também como o vosso, sempre compassivo para com as dores e sofrimentos alheios, dai-nos a caridade para com o próximo, virtude necessária para a salvação de nossas almas e tão difícil de ser praticada neste mundo cheio de ódio e de vinganças. Abrandai os nossos corações para que perdoemos aos que nos ofenderam e vivamos na caridade de Jesus Cristo.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai.

Jaculatória: São Benedito, consolo dos pobres, dai-nos um coração cheio de compaixão para com os infelizes, e que vivamos sempre na caridade fraterna!

QUINTO DIA

Glorioso São Benedito, pobre de Jesus Cristo, amante da pobreza, cujo voto praticastes com heroísmo admirável. Vosso desapego vos levou a abandonar o mundo, a desprezar as honras e a viver no sofrimento e na penúria, por amor à santa pobreza do espírito franciscano. Fostes um perfeito imitador do vosso São Francisco e, como ele, apaixonado pela pobreza. Desapegai nosso coração dos bens deste mundo e que possamos aproveitar os bens que por ventura nos tenha dado a Divina Providência para melhor servirmos a Deus e aos pobres.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai.

Jaculatória: São Benedito, pobre e amigo dos pobres, rogai por nós! Valei-nos em nossas necessidades espirituais e temporais!

SEXTO DIA

Glorioso São Benedito, obediente e humilde pela vossa heroica e admirável obediência, que vos fez religioso perfeito e que vos trazia sempre na fidelidade à regra de São Francisco, e numa observância tal que vos tornou um modelo de verdadeiro religioso. Dai-nos que, sempre obedientes aos legítimos superiores, vejamos neles, como vós, os representantes da autoridade divina. Livrai-nos de todo espírito de revolta, de toda soberba e que saibamos obedecer sempre com alegria e espírito de fé.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai.

Jaculatória: São Benedito, fazei nosso coração semelhante ao de Jesus, que obedeceu até a morte e morte de cruz!

SÉTIMO DIA

Glorioso São Benedito, fostes chamado pelo povo de Palermo “templo da virgindade e do Espírito Santo”. Conservastes ilibada a veste do vosso batismo e fostes um anjo em carne mortal. Vossa inocência, guardada com tanta penitência, voz fez um lírio perfumado e belo de pureza. Ajudai-nos nesta tremenda luta contra as tentações. Guardai nosso coração nos perigos, livrai-nos de todo pecado e de todo o escândalo. Valei-nos nesta guerra contra o mundo, o demônio e a carne. Por Maria Imaculada, vossa e nossa Mãe querida, dai-nos a força nos combates deste mundo e ajudai-nos a vencer as tentações.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai.

Jaculatória: São Benedito, templo da virgindade e do Espírito Santo, por Maria Imaculada, valei-nos nos perigos e nas tentações.

OITAVO DIA

Glorioso São Benedito, humilde pela vossa condição de escravo, humilde pela vossa ignorância das letras e pela vossa vida escondida. Vós, que amastes a humilhação, vos que fostes pequenino e abatido aos nossos olhos, e compreendestes a verdadeira humildade de coração. Ó Glorioso Santo, impetrai-nos a graça de sermos humildes neste mundo, para que possamos merecer um dia a coroa da glória no céu. São Benedito, cheio de prudência, de justiça, de fortaleza, de temperança, adornado de todas as virtudes, ajudai-nos a vos imitar nesta vida, para que possamos um dia, convosco no céu, glorificar ao Senhor.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai.

Jaculatória: São Benedito, como Jesus, manso e humilde de coração, fazei nosso coração semelhante ao vosso!

NONO DIA

Glorioso São Benedito, devotíssimo da Santa Eucaristia, que vos arrebatava o coração em êxtases de puro amor. Anjo adorador de Jesus Sacramentado, dai-nos uma fé bem viva neste mistério de amor. Ajudai-nos a receber com mais fervor a Santa Comunhão. Glorioso Santo, devoto de Maria Santíssima e do Santíssimo Rosário, nós vos pedimos, com todo o fervor, que por amor de Jesus Hóstia Santa e Maria Imaculada, nunca deixemos estas devoções Salvadoras: a Santa Eucaristia e o Santo Rosário.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória ao Pai.

Jaculatória: São Benedito, adorador de Jesus Sacramentado e devoto da Virgem Imaculada, aumentai em nossos corações estas duas devoções!

ORAÇÃO FINAL (todos os dias)

Querido São Benedito, bem sabeis quanta confiança temos em vossa valiosa intercessão junto de Jesus e de Maria Imaculada. Aqui estamos aos vossos pés para vos pedir uma graça (declara-se a graça). Se for conforme a vontade santíssima de Deus, para o bem e salvação de nossas almas, vos rogamos: valei-nos nesta aflição! Podemos afirmar de verdade: nunca se ouviu dizer que quem a vós recorreu deixasse de ser socorrido pelo vosso grande poder. Com esta confiança no poder de fazer milagres que Deus vos concedeu já nesta vida, aqui estamos para implorar com todo fervor de nossas almas as graças espirituais e temporais que conheceis serem necessárias a nossa vida. São Benedito, não nos desampareis em nossas necessidades e aflições. Fazei que ajudados por vossa proteção possamos servir a Jesus e a Maria nesta vida e alcançar um dia a eterna bem-aventurança.

São Benedito, rogai por nós!