quinta-feira, 31 de maio de 2012

Acorde para vencer (Autor desconhecido)


Não deixe que nada afete seu espírito.
Envolva-se pela música, cante e ouça.
Comece a sorrir mais cedo.
Ao invés de reclamar quando o relógio despertar,
agradeça pela oportunidade  de acordar mais um dia.
O bom humor é contagiante; espalhe-o, fale de coisas boas,
de saúde de sonhos, de amor.

Não se lamente!!!
Ajude as outras pessoas a perceberem
o que há de bom dentro de si.
Não viva emoções mornas ou vazias.
Cultive seu interior,
extraia o máximo de pequenas coisas.
Seja transparente e deixe que as pessoas
saibam que você as estima e precisa delas.
Repense os valores e dê a chance
de crescer e ser mais feliz.

Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito.
Torne suas obrigações atraentes,
tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que faz.
Não trabalhe só por dinheiro e sim
pela satisfação da missão cumprida.
Lembre-se de que nem todos
têm a mesma oportunidade.

Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere o melhor.
Transforme seus movimentos em oportunidades.
Veja o lado positivo das coisas
e assim tornará seu otimismo uma realidade.
Não inveje. Admire!
Sinta entusiasmo com o sucesso alheio,
como seria com o seu próprio.

Idealize um modelo de competência
e faça sua auto avaliação
para saber o que lhe está faltando para chegar lá.
Ocupe seu tempo crescendo,
desenvolvendo suas habilidades e seu talento.
Só assim não terá tempo de criticar os outros.
Não acumule fracassos e sim experiências.

Tire proveito dos seus problemas
e não se deixe abater por eles.
Tenha fé e energia, acredite!!!
Você pode tudo que quiser.
Perdoe!
Seja grande para os aborrecimentos,
Pobre para a raiva, forte para vencer o medo e
Feliz para permitir momentos felizes.
Não viva só para o trabalho.

Tenha outras atividades paralelas
como esportes, leituras, cultivar amigos.
O trabalho é uma das contribuições que damos à vida,
mas não se deve jogar nele
todas as nossas expectativas de realizações.
Finalmente, ria das coisas à sua volta,
de seus problemas, de seus  erros, ria da vida.
E... ame! Antes de tudo, a você mesmo!

A gente começa a ser feliz quando é capaz”

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Convite para o Encontro de Sensibilização Histórico-Cultural na sexta-feira, dia 25 de maio, no IST


A 1ª Unidade Regional de Educação (SEDUC), de Bragança, convida toda a comunidade docente e público em geral para o Encontro de Sensibilização Histórico-Cultural: dos Caetés à Bragança: 400 Anos de História.
Será na sexta-feira, dia 25 de maio, das 8h às 12h e das 14h às 18h, no Instituto Santa Teresinha, promovido pela 1ª URE Bragança/SEDUC, com o apoio da Prefeitura Municipal de Bragança e da Dep. Est. Simone Morgado.
Coord.: Prof.ª Mariana Bordallo da Silva

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Morre Donna Summer (*31.12.1948, +17.05.2012)

A diva da música Disco Donna Summer morreu nesta madrugada, aos 63 anos, após lutar contra um câncer. A notícia foi divulgada pelo site TMZ por volta das 12h30 de hoje (horário de Brasília). Sua morte foi confirmada por volta das 13h30 por familiares à agência de jornalismo Associated Press.
Donna Summer teve uma carreira artística muito evidente nos anos 70, ganhando 5 prêmios Grammy e emplacando sucessos com músicas como Last Dance, Hot Stuff, She Works Hard for the Money e Bad Girls, chegando a vender aproximadamente 130 milhões de discos ao redor do mundo. Abaixo, vídeo de Bad Girls, um dos sucessos de sua carreira.

video
LaDonna Adrian Gaines, nome real da cantora, nasceu em Massachusetts em 1948 e começou sua carreira como cantora de apoio do trio Three Dog Night. Seu primeiro disco solo foi lançado em 1974, Lady of the Night. Seu primeiro grande hit foi Love to Love You Baby, que chegou ao 2º lugar na parada da Billboard, dois anos depois. Ficou conhecida como a Rainha da Disco.
Com o sucesso, passou a lançar um LP por ano até 1984, somando 17 álbuns de estúdio. Seu último trabalho foi Crayons, de 2008. Donna Summer veio pela última vez ao Brasil em 2009 para divulgar o referido CD.
De acordo com o site TMZ, ela estava na Flórida, no sul dos EUA. A cantora, que preferia não falar da doença, estava trabalhando num novo álbum. A cantora deixa viúvo Bruce Sudano, além de seus duas filhas (Brooklyn e Amanda) e netos. A família da cantora divulgou um comunicado, afirmando que eles estão “em paz celebrando sua vida extraordinária e seu legado”.


sábado, 12 de maio de 2012

Origem histórica do Dia das Mães


História do Dia das Mães
O Dia das Mães é uma data que movimenta não só o comércio, mas também os corações de tantos filhos, no sentido de presentear suas mães, mas também no sentido da demonstração do amor.
Nesse caso, existem diversas histórias e tradições sobre o Dia das Mães, que passo a pontuar, após pesquisa na rede de computadores.
As antigas celebrações do Dia das Mães remontam às comemorações da primavera (estação do ano), na Grécia Antiga, em honra à Rhea (ou Réa), mulher de Cronos e mãe dos Deuses do Olimpo. Em Roma, as festas eram dedicadas à Cybele, mãe dos Deuses romanos e essas cerimônias iniciaram entre 250 anos antes da Era Cristã (250 a.C.).
Mas a história em torno do Dia das mães, atualmente comemorado no Brasil no 2º domingo do mês de maio nasce em homenagem a Maria, Mãe de Jesus, que se torna o modelo para a maternidade, numa imagem que vem da tradição judaico-cristã e do Cristianismo. Maria se torna assim o modelo de mãe, assumido como a mãe judaica, mãe ocidental. Uma dessas características vem das suas iconografias, ou seja, da forma com que foram produzidas as imagens em torno na figura maternal de Maria, como as famosas Madonna’s de Rafael Sanzio, artista renascentista italiano e um dos preferidos dos papas mecenas no século XVI, com um acervo fascinante.
Com a expansão do Cristianismo pela Europa passou-se a homenagear-se a “Igreja Mãe” – a força espiritual que lhes dava vida e os protegia do mal, segundo antiga tradição cristã. Ao longo do tempo, a festa da Igreja foi-se confundindo com a celebração do Domingo da Mãe, e as pessoas passaram a homenagear tanto as suas mães como a Igreja.
O próximo registro está no século XVII, quando na Inglaterra era dedicado o quarto domingo da Quaresma às mães das operárias inglesas. Nesse dia, essas trabalhadoras tinham folga para ficar em casa com as mães. Era chamado de "Mothering Day", fato que deu origem ao "mothering cake", um bolo para as mães que tornaria o dia ainda mais festivo e famoso.
Nos Estados Unidos, a primeira sugestão para a criação da data se deu em 1872 pela escritora Julia Ward Howe, autora de “O Hino de Batalha da República” e por outras mulheres, que se uniram contra a crueldade da guerra e lutavam, principalmente, por um dia dedicado à paz.

Imagem: Uma das Madonna (Nossa Senhora em italiano), de Rafael Sanzio, com uma forte influência de Leonardo da Vinci.

A ideia de Anna Jarvis
A maioria das fontes é unânime acerca da ideia da criação do Dia das Mães. Ela partiu de Anna Jarvis, que em 1904 (ou 1905, segundo algumas fontes), quando a sua mãe morreu, chamou a atenção na Igreja de Grafton para um dia especialmente dedicado às mães. Três anos depois, em 10 de maio de 1907, foi celebrado o primeiro Dia da Mãe, naquela igreja, reunindo famílias em torno da data e com o sentimento de fortalecer os laços familiares e o respeito pelos pais.
Nessa ocasião, a Sra. Jarvis enviou para a igreja 500 cravos brancos, que deviam ser usados por todos, e que simbolizavam as virtudes da maternidade. Ao longo dos anos enviou mais de 10.000 cravos para a celebração em dois tons, os vermelhos para as mães ainda vivas e os brancos para as já falecidas ou desaparecidas – hoje considerados mundialmente com símbolos de pureza, força e resistência das mães.
Durante três anos seguidos, Anna lutou para que fosse criado o Dia das Mães. A primeira celebração oficial aconteceu somente em 26 de abril de 1910, quando o governador de Virgínia Ocidental, William E. Glasscock, incorporou a data ao calendário comemorativo do estado. Rapidamente, outros estados norte-americanos aderiram à comemoração.

Imagem: Anna Jarvis fundou o dia das mães em memória a sua mãe, Ann Marie Reeves Jarvis.

Com a aceitação geral, Anna Jarvis e suas apoiadoras começaram a escrever a pessoas influentes, políticos, governantes e homens de negócios e políticos com o intuito de estabelecer uma data em nível nacional, o que daria às mães a justa homenagem, regulamentada pelos Estados Unidos. A campanha foi bem sucedida, já que em 1911, a data já era celebrada em praticamente todos os estados norte-americanos. Finalmente, em 1914, o então presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson (1913-1921), unificou a celebração em todos os estados, estabelecendo que o Dia Nacional das Mães deveria ser comemorado sempre no segundo domingo de maio. A sugestão foi da própria Anna Jarvis. Em breve tempo, mais de 40 países adotaram a data.
Anna passou praticamente toda a vida lutando para que as pessoas reconhecessem a importância das mães. Na maioria das ocasiões, utilizava o próprio dinheiro para levar a causa a diante. "O amor de uma mãe é diariamente novo", afirmou certa vez. Anna morreu em 1948, aos 84 anos. Recebeu cartões comemorativos vindos do mundo todos, por anos seguidos, mas nunca chegou a ser mãe.
Hoje em dia, muitos celebram o Dia das Mães com pouco conhecimento das suas origens e até mesmo de seu significado. No entanto, quase todas as pessoas se identificam com o respeito, o amor e a honra demonstrados por Anna Jarvis por sua mãe e por todas as mulheres que se tornam mães.

Dia das Mães no Brasil e no mundo

No Brasil, em 1932, o presidente Getúlio Dornelles Vargas oficializou a data no segundo domingo de maio. Em 1947, Dom Jaime de Barros Câmara, Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, determinou que essa data fizesse parte também no calendário oficial da Igreja Católica.
Em Portugal, o Dia da Mãe é celebrado no primeiro domingo de Maio, embora durante muitos anos tivesse sido comemorado no dia 8 de Dezembro, dia da Nossa Senhora da Conceição.
Em Israel o Dia da Mãe deixou de ser celebrado, passando a existir o Dia da Família em Fevereiro.
No Brasil é comemorado no segundo domingo do mês de maio. E é considerada uma data que move muito o comércio brasileiro.
Em Israel o Dia da Mãe deixou de ser celebrado, passando a existir o Dia da Família em Fevereiro.
No Brasil é comemorado no segundo domingo do mês de maio. E é considerada uma data que move muito o comércio brasileiro.

Fontes:
- Pesquisa de Daniela Bertocchi Seawright para o site Terra, em:
- Wikipedia
- Norman F. Kendall, Mothers Day, A History of its Founding and its Founder, 1937.
- Main Street Mom
- West Virginia Oficial Site
- O Guia dos Curiosos - Marcelo Duarte. Cia da Letras, São Paulo, 1995.
- Revista Vitrine - Artigo - Abril, São Paulo, 1999

Datas fixas
Dia
Mês
País
3
Março
Geórgia
8
Março
21
Março
7
Abril
10
Maio
15
Maio
26
Maio
27
Maio
12
Agosto
15
Agosto
8
Dezembro

Dias variáveis no mês
Dia
Mês
País
Segundo Domingo
Fevereiro
Noruega
Primeiro Domingo
Maio
Segundo Domingo
Maio
Último Domingo
Maio
França (se coincide com Pentecostes, é transferido para o primeiro domingo de Junho), Suécia
Terceiro Domingo
Outubro
Início do Mês
Outubro

Dias variáveis no ano
Dia
País
Primeiro Dia da Primavera
2 semanas antes do Natal



sexta-feira, 11 de maio de 2012

O que era o Pacto por Bragança, há 12 anos?


O que era o Pacto por Bragança?

            O Pacto por Bragança não era uma entidade, nem tampouco uma instituição de caráter deliberativo, nem de organização sindical, nem de ações executivas. O Pacto, como assim chamamos, era um movimento que só existia quando nos reuníamos, nos encontrávamos e pensávamos alternativas para um crescimento em conjunto da sociedade em todos os níveis de trabalho a que nos propusermos. Não temos presidente, coordenador, secretários, tesoureiros, chefes... Tínhamos lideranças reunidas e que durante boa parte do ano 2000 e 2002 realizaram reuniões sistemáticas em torno do objetivo deste movimento e do alcance da gestão compartilhada e do desenvolvimento geral de Bragança. Boa parte dessa atuação foi registrada por mim (que participava do LEO Clube de Bragança) e por Nazaré Freitas (Diretoria-presidente da CDL Bragança). Foi uma excelente oportunidade de pensar Bragança, reconhecê-la e vivenciá-la. Muitos daqueles sonhos nos acompanharam muitos anos e, alguns deles, são, sem dúvida, realidade hoje.

Objetivo do Pacto

         Catalisar energias de lideranças, organizações e estruturas interessadas no desenvolvimento sustentável de Bragança.
            O Pacto por Bragança possuía um objetivo, que era o alcance de um modelo de desenvolvimento sustentável, contínuo, gradativo e, principalmente, com respeito às diversidades políticas, partidárias, de compatibilidade e setores de atuação, as fontes da nossa riqueza enquanto grupo que acredita nas mudanças estruturais, evitando exclusões.

Quais eram os parceiros do Pacto por Bragança?

            Prefeitura Municipal de Bragança e Secretarias 
            Câmara Municipal de Bragança
            Conselhos Municipais
            SEBRAE Bragança
            Câmara de Dirigentes Lojistas de Bragança
            Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Bragança
            Diocese de Bragança e Pastorais
            Universidade Federal do Pará
            Projeto MADAM
            LEO Clube de Bragança
            Hospital Santo Antonio Maria Zaccaria
            SENAI Bragança
            JUCEPA – Posto Avançado de Bragança
            Banco do Brasil S/A
            Banco da Amazônia S/A
            Caixa Econômica Federal
            Instituto Santa Teresinha
            Centro Educacional João Paulo II
            1ª Unidade Regional de Educação
            Fundação Educadora de Comunicação
            Rádio Pérola FM
            Jornal O Semanário (hoje Tribuna do Caeté)
            14ª CIPM Caeté (hoje 5ª CIPM Caeté)
            Grupo de Escoteiros Sebastião Pereira
            Grupo de Escoteiros Jorge Ramos
            Associação de Moradores de Ajuruteua
            Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bragança
            Lions Clube de Bragança
            Rotary Clube de Bragança
            Loja Maçônica Aurora Bragantina
            Loja Maçônica Conciliação Bragantina
            Igreja Assembléia de Deus
            Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
            Associação Movimento da Maré
            Associação União Comunitária de Acarajó

As necessidades urgentes que tínhamos em planejamento:

            Preparar um plano de desenvolvimento geral, para efetivamente proporcionar crescimento nas áreas de economia, pesca, agricultura, turismo, saúde, educação, etc. levando em consideração a equidade social e a geração de emprego e, conseqüentemente de renda.
            Devemos nos integrar ao processo de mudança e ação que se observa no município, participando de forma mais efetiva e intensiva, evitando os isolamentos e as exclusões das estruturas que representamos.

Resultados que pensávamos alcançar:

            Desenvolvimento
            Emprego
            Renda
            Realização de sonhos (oportunidades de atuação efetiva)
            Satisfação de poder ajudar a comunidade
            Qualidade de vida
            Reconhecimento social importante para o município
            Cidadania (exercício da)
            Trabalho contínuo

As percepções iniciais que visualizamos

            Percebíamos que certa parcela da sociedade bragantina e alguns grupos não estavam preparados nem conheciam os motivos reais do Pacto por Bragança, e talvez não se integrassem por medo político (partidário) de atuação, resistindo a esse novo modelo de pensamento: o pensar em conjunto.
            Precisávamos sair do campo da retórica e partir para a prática efetiva da gestão compartilhada, firmando mais e mais parcerias, principalmente com o Poder Público.